Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Sobe para quatro o número de mortos

Morreu mais idoso que foi vítima do incêndio num lar em Serpa no último dia  de 2007.

Um dos feridos no incêndio ocorrido no último dia do ano num lar de idosos em Serpa morreu sexta-feira, elevando para quatro o número de vítimas mortais do sinistro.

De acordo com Miguel Gois, porta-voz do hospital de Beja, uma idosa de 89 anos morreu sexta-feira, depois de vários dias internada naquela unidade hospitalar com prognóstico reservado.

No hospital de Beja permanecem ainda internados dois idosos, mas livres de perigo, continuando outros dois na unidade de queimados do Hospital de São José, em Lisboa.

Num balanço actualizado, o incêndio no Lar de S. Francisco, com 102 utentes e gerido pela Santa Casa da Misericórdia de Serpa (SCMS), causou quatro mortos e oito feridos em estado grave, quatro deles ainda internados.

O incêndio, ocorrido na última segunda-feira, afectou os dois pisos da zona dos quartos e a sala de convívio, mas o refeitório, a cozinha e toda a parte antiga do edifício mantiveram-se sem danos.

Obras no edifício 

Maria Ana Pires, provedora da SCMS, disse que já começaram as intervenções no piso do rés-do-chão, o menos afectado pelo incêndio, que incluem a substituição de janelas, do ar condicionado e pintura das paredes.

"O piso deverá estar pronto no final da próxima semana para acolher primeiro os 52 utentes que foram realojados fora de Serpa em várias misericórdias do distrito de Beja", referiu.

O piso do primeiro andar e a sala de convívio, as zonas do lar mais afectadas pelo fogo, adiantou, começaram já a ser preparadas para serem alvo de "intervenções mais profundas".

As obras, que incluem a substituição integral do chão, das janelas, da parte eléctrica, do ar condicionado e a pintura das paredes, deverão terminar "no final deste mês", para acolher os 45 utentes realojados numa residência de estudantes em Serpa, adiantou.

De acordo com Maria Ana Pires, o valor dos danos causados pelo incêndio ainda não está apurado, sendo a recuperação do lar financiada pela SCMS e comparticipada pela Segurança Social, que "já se demonstrou disponível para ajudar, através de um fundo de emergência".

Maria Ana Pires disse também que o lar já retomou a prestação do serviço de apoio domiciliário, que fornece refeições e presta cuidados de higiene a 50 utentes residentes em Serpa.