Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

SCUT: Eleições deverão "castigar quem tem lógica discriminatória"

Luís Filipe Menezes defendeu hoje que nas próximas eleições o Norte deverá castigar quem "tem e continua a ter uma lógica centralista e discriminatória".

O presidente da Câmara Municipal de Gaia, Luís Filipe Menezes, afirmou hoje, em Gaia, que o Norte pode, na próxima eleição, castigar quem "tem e continua a ter uma lógica centralista e discriminatória".

"As pessoas do Norte, na próxima eleição, têm oportunidade de castigar quem em seu juízo tem e continua a ter uma lógica eminentemente centralista e discriminatória", disse, à margem da cerimónia de lançamento da primeira pedra do novo Centro de Reabilitação do Norte a ser edificado em Gaia. 

Menezes considerou "legítimo que a população da região Norte se sinta preocupada e se sinta contristada com o facto de verificar que há uma certa constância de discriminações negativas em relação à região quando se fala em decisões políticas do Estado Central, nomeadamente quando se fala de investimentos públicos". 

"Eu acho que esse problema resolve-se nos Estados democráticos em eleições", realçou o autarca, reafirmando que não alinha "ao lado daqueles que fazem da rua o campo de batalha". 

Luís Filipe Menezes reiterou que "não existe o mínimo de condições do ponto de vista prático, técnico" para introdução de portagens nas SCUT a partir de 01 de julho. 

"Manda o bom senso que haja um compasso de espera, que haja o número de semanas ou meses necessários para que se aplique uma regra de universalidade a todo o território nacional sem discriminações negativas regionais e para que se possam também aperfeiçoar os meios técnicos que permitam o tal não pagamento de portagens em pequenos trajetos de proximidade", sustentou.

Instado sobre a posição do partido quanto à introdução de portagens nas SCUT, o presidente da Câmara de Gaia assinalou que "o PSD está a ter uma intervenção extremamente responsável e elogiável porque não aliena princípios".

"O líder do PSD e a direção nacional do PSD estão a defender princípios que são perenes para o PSD: o princípio do utilizador/pagador mas mitigado por aquilo que é a impossibilidade de aceitar discriminações negativas regionais e o bom senso de perceber que em relação a trajetos de curta duração de caráter urbano não faz nenhum sentido que não haja isenções que libertem os cidadãos e as empresas desse ónus", afirmou. 

Governo e oposição não se entenderam quanto ao diploma da introdução de portagens nas SCUT (estradas sem custos para o utilizador) do Norte, tendo a oposição aprovado no parlamento, na generalidade, a revogação da aplicação do sistema de identificação eletrónica de veículos. 

O ministro dos Assuntos Parlamentares afirmou, em conferência de imprensa, que poderão ser cobradas portagens nas três autoestradas SCUT do Norte e Centro do país enquanto os diplomas da oposição de revogação não forem promulgados.