Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Rússia: Polícia reprime manifestação da oposição

Todos os meses com 31 dias do ano, a oposição convoca uma manifestação em defesa do Artigo Nº 31 da Constituição, que autoriza a liberdade de expressão na Rússia.

A polícia de choque russa (OMON) impediu a realização de uma manifestação da oposição extra-parlamentar ao Kremlin na capital russa, tendo feito dezenas de detenções.

Serguei Udaltsov, dirigente da "Frente de Esquerda", acompanhado de um grupo de militantes dessa organização, conseguiu estar na Praça do Triunfo cinco minutos, tendo-se algemado a uma grade.

A OMON, logo que eles começaram a gritar "Demissão de Putin!", "Liberdade!", "Artigo N 31", deteve-os, arrastando-os para uma das 30 camionetas prontas para transportar os manifestantes para várias esquadras da polícia.

Ex-ministro entre os detidos

Entre os detidos estava também Boris Nemtsov, antigo ministro do Governo do Presidente Boris Ieltsin e dirigente do movimento "Solidariedade".

"Não obstante todas as barreiras, cerca de três mil manifestantes  conseguiram entrar na praça", declarou à Lusa Roman Dobrokhotov, dirigente da organização "Nós".

Antes do início da manifestação, a polícia deu instruções aos jornalistas: "Peço aos meios de informação que cobrem estes acontecimentos para serem objetivos, para mostrarem o que se passa na realidade", declarou Victor Biriukov, porta-voz da polícia de Moscovo.

Andrei Babuchkin, membro do Conselho Social junto da polícia de Moscovo,

recomendou aos jornalistas a não ajudarem os agentes da OMON na detenção dos manifestantes.

Manifestações todos os dias 31

"Independentemente das vossas ideias políticas, não façam isso. Se, por exemplo, vêem que o agente da OMON arrasta alguém e isso lhe é difícil, não é preciso ajudá-lo", declarou Babuchkin.

Em todos os meses com 31 dias do ano, a oposição convoca para a Praça do Triunfo uma manifestação em defesa do Artigo Nº 31 da Constituição, que autoriza a liberdade de expressão na Rússia, mas as autoridades moscovitas proibem-na sempre, sob os mais variados pretextos.

Segundo os opositores de movimentos como "Frente de Esquerda", "Outra Rússia", "Solidariedade", a Lei Suprema exige que os organizadores de manifestações apenas informem as autoridades, não sendo preciso pedir autorização.

Desta vez, as autorizadas deram prioridade a um espetáculo de automóveis de corrida. A 31 de Julho, foi organizado na Praça do Triunfo uma recolha de sangue.