Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Repatriamento de corpo de GNR depende da ONU

O corpo do militar da GNR que faleceu num acidente em Timor-Leste deverá ser transportado para Portugal no final da semana, mas "tudo depende das Nações Unidas", 

A GNR prevê que o corpo do militar que faleceu em Timor-Leste seja transportado para Portugal no final da semana, mas "tudo depende das Nações Unidas".

"Os militares da GNR que estão em Timor-Leste estão integrados na missão das Nações Unidas, pelo que não sabemos dizer com certeza quando é que o corpo será transportado. Existem um conjunto de formalismos legais que é necessário cumprir", explicou o responsável pelas Relações Públicas da GNR.

Em declarações à Lusa, Costa Lima admitiu a possibilidade de o corpo do militar que morreu num acidente em Timor-Leste ser transportado para Portugal no final da semana, sublinhando que estão a ser "desenvolvidos todos os esforços" para que regresse ao território português "o mais rápido possível".

A morte do militar da GNR ocorreu cerca das 6h00 locais (22h00 de domingo em Lisboa), quando uma equipa de inativação de explosivos do Subagrupamento Bravo se deslocava de Díli para Viqueque, na costa sul de Timor-Leste.

Viatura caiu numa ravina

Aparentemente, a viatura não terá conseguido fazer uma curva apertada, tendo caída numa ravina, e provocando a morte de um dos militares, de 46 anos, e ferimentos noutro.

"Não se explica o que aconteceu. É verdade que em Timor-Leste não existem estradas, mas sim caminhos sinuosos e com declives muito acentuados. Mas aqueles caminhos eram já conhecidos pelos militares, que os tinham percorrido várias vezes", afirmou o responsável pelas Relações Públicas da GNR.

O tenente-coronel Costa Lima sublinhou ainda que esta é a primeira morte de um militar da GNR desde que a Guarda Nacional Republicana iniciou a sua participação em missões em Timor-Leste, em 1999.

"Antes dessa data e em missões internacionais, a GNR tinha tido apenas uma morte em Angola, em 1998. Desde então, e felizmente, nunca mais tínhamos tido uma fatalidade", acrescentou.

Segundo o comandante da força da GNR em Díli, o militar que ficou ferido foi transportado para a Austrália, como medida de precaução, embora o seu estado clínico esteja estabilizado.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.