Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Reacções

«Os resultados dos exames mostram uma coisa: que a situação do ensino em Portugal é muito grave. Sistematicamente, as notas são desastrosas o que reforça a necessidade de exames nacionais, sujeitos a escrutínio público. Há oscilações de ano para ano que não podem ser explicadas pelas diferenças de conhecimentos dos alunos. Colocam-se, pois, dúvidas sobre a chamada validade das provas e critérios de avaliação. Seria bom que houvesse um sistema de avaliação independente que analisasse todo este processo»

Nuno Crato, Sociedade Portuguesa de Matemática

«Os resultados dos exames de Português não nos espantam. São compreensíveis e, até, globalmente satisfatórios. Quanto ao despacho que permite a repetição de exames, pessoalmente considero gravíssimo. Pode criar mau-estar e abre um precedente inédito. É uma situação que mostra muita coisa: mostra que temos de ter mais cuidado para não brincarmos com o trabalho dos alunos»

Edviges Ferreira, Associação de Professores de Português

«Concordo com a repetição das provas de Física e de Química. Mas o Ministério deve dar a mesma oportunidade aos alunos de 12º ano de Matemática. Se o critério para esta decisão foi determinado por pareceres de especialistas, também a Associação de Professores de Matemática levantou críticas ao enunciado da prova»

Maria José Viseu, Confederação das Associações de Pais

«Estamos surpreendidos com os resultados porque o programa é muito mais interessante para os alunos. Explicações para este novo descalabro de notas? As aulas do 12º ano podem ter sido entregues a professores sem qualquer experiência, E os critérios de avaliação dos exames são muito exigentes e injustos. Por outro lado, o trabalho experimental - que é tão enfatizado no novo programa - não foi contemplado no enunciado da prova»

Anabela Martins, Sociedade Portuguesa de Física