Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

PSD retira confiança a Fontão

A direcção do PSD quer que Fontão de Carvalho suspenda funções, caso contrário retira-lhe a confiança política. Carmona defende o contrário.

A direcção do PSD exige que Fontão de Carvalho suspensa funções esta tarde, caso contrário retira-lhe a confiança política. Foi esta a conclusão de uma longa reunião da Comissão Permanente do partido com a presidente da distrital de Lisboa, Paula Teixeira da Cruz, que teve um papel deciviso no desfecho.

Ontem à noite, quando soube que o vice-presidente da câmara de Lisboa tinha sido acusado por peculato num processo sobre a Epul, o líder social-democrata começou por lhe dar total cobertura, defendendo que não era caso para qualquer suspensão de funções. Mas o facto de Fontão de Carvalho ter omitido que já era arguido há um mês foi radidamente percepcionado como grave e depois de contactar alguns vices do partido e de falar com Teixeira da Cruz, Marques Mendes convocou a Comissão Permanente para hoje de manhã. Com algumas nuances, a decisão acabou por ser unânime: não era possível  dar mais cobertura à ''deslealdade do vice de Carmona.

O presidente da autarquia afirmou, entretanto, à entrada da câmara que a decisão de manter Fontão em funções foi previamente articulada com a direcção nacional do PSD que, segundo Carmona Rodrigues, apoiou ''inteiramente''. Fontes próximas de Marques Mendes garantem que esse apoio foi anterior à afirmação de Fontão de que omitira ser arguido.

 

“UMA QUESTÃO DE DECÊNCIA”, DIZ NOGUEIRA PINTO

Entretanto, Maria José Nogueira Pinto disse esta tarde ao Expresso que considera que o presidente da Câmara de Lisboa não tem condições políticas para continuar em funções. A vereadora do CDS considera que a declaração de solidariedade de Carmona Rodrigues em relação a Fontão de Carvalho foi a gota de água. E atira a responsabilidade da resolução deste impasse para Marques Mendes: "Se é verdade o que (Carmona) disse, que tem a confiança do PSD, então é uma vergonha nacional", afirma Nogueira Pinto. E vai mais longe: "Se se vier a saber que o professor Carmona Rodrigues, ao contrário do que disse, não tem a confiança política do PSD, então ele mentiu. Se tem, confirmam-se as piores suspeitas sobre a liderança de Marques Mendes".

Para a vereadora centrista, o que está em causa "já não é uma questão de governabilidade, mas de decência", por isso avisa: ‘‘Se o PSD não se demarcar, a oposição tem que ter uma atitude firme’’. E, nesse cenário, chama a atenção para o papel do PS, por ser o maior partido da oposição. F.S.C.