Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Professores poderão paralisar a 17 e 18

Os professores estão determinados a lutar contra a fixação de quotas. Para já, poderão paralisar a 17 e 18 de Outubro.

A plataforma sindical de professores – que reúne 13 organizações com 110 mil associados – deverá convocar uma greve para os dias 17 e 18 de Outubro, soube o EXPRESSO.

"A plataforma entregou uma carta à ministra da Educação e aguarda uma resposta às sua reivindicações", afirmou fonte sindical. "Neste momento está tudo nas mãos da equipa do Ministério da Educação", acrescentou.

Os sindicatos "rejeitam liminarmente" o sistema de quotas na progressão da carreira que o Ministério da Educação quer introduzir nos novos estatutos, em preparação. O modelo avançado pelo Governo para a reformulação do Estatuto da Carreira Docente (ECD) põe fim às subidas de escalão "automáticas". O objectivo é afunilar na passagem do 7.º para o 8.º escalão, com este último a tornar-se equivalente, no futuro ECD, a "professor titular".

Este patamar só será alcançado pelos docentes que tenham altas classificações ao longo da carreira. Actualmente, quase 66 mil professores – 52% dos docentes do quadro – estão entre o 8.º e o 10.º escalão, o que significa que serão equiparados a professores titulares no dia em que entrar em vigor o novo diploma.

Para ultrapassar as divergências substanciais que opõem Governo e sindicatos, a Fenprof está a ponderar fazer um referendo à classe. Os professores recusam também ser avaliados pelos pais, conforme consta na proposta da equipa de Maria de Lurdes Rodrigues.