Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Prémio Leya para Nuno Camarneiro

Entre 270 obras concorrentes, 4ª edição do Prémio Leya distingue por unanimidade o autor de  "Debaixo de algum céu" .

Luciana Leiderfarb (www.expresso.pt)

Depois de no ano passado ter premiado o escritor João Ricardo Pedro, é a vez de Nuno Camarneiro ser galardoado com o Prémio Leya.

Nuno Camarneiro venceu com o romance "Debaixo de algum céu", que o júri encabeçado por Manuel Alegre - e do qual fazem parte Nuno Júdice, Pepetela, José Castello, José Carlos Seabra, Lourenço do Rosário e Rita Chaves - escolheu "por unanimidade" entre as 270 obras originais concorrentes.

Natural da Figueira da Foz e nascido em 1977, Nuno Camarneiro foi investigador em Engenharia Física antes de se tornar escritor. Licenciado pela Universidade de Coimbra, trabalhou no CERN (Organização Europeia para a Investigação Nuclear) em Genebra e doutorou-se em Ciência Aplicada ao Património Cultural, em Florença.

Os seus múltiplos interesses levaram-no a fazer incursões no teatro, integrando a companhia Bonifrates, na música, como elemento do grupo Diabo a Sete, e a ser membro do Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra.

Atualmente, Nuno Camarneiro é investigador na Universidade de Aveiro e professor de restauro na Universidade Portucalente do Porto. Após ter publicado alguns contos em revistas e colectâneas, "No Meu Peito não Cabem Pássaros" foi a sua estreia como romancista.

Com o valor de 100 mil euros, esta é a segunda vez que o Prémio Leya, criado em 2008, vai para um escritor português. Romancistas de outros continentes já foram premiados, como o brasileiro Murilo Carvalho e o moçambicano João Paulo Borges Coelho.