Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Prémio Leya atribuído a Nuno Camarneiro

De entre as mais de 270 obras originais submetidas a concurso, o escritor venceu com o romance "Debaixo de algum céu".

O romance "Debaixo de algum céu", de Nuno Camarneiro, é o vencedor do Prémio LeYa, com o valor pecuniário de 100.000 euros, foi hoje divulgado pelo presidente do júri, Manuel Alegre, na sede do grupo editorial.

Nascido em 1977 na Figueira da Foz, Nuno Camarneiro publicou em coletâneas e revistas até se estrear com o romance "No meu peito não cabem pássaros".

O Prémio LeYa é-lhe agora atribuído pelo romance "Debaixo de algum céu", tendo sido decidido por maioria, segundo o júri, perante mais de de 270 obras originais a concurso.

Além de Manuel Alegre, o júri foi constituído ainda pelos escritores Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, por José Carlos Seabra Pereira, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Lourenço do Rosário, reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, e Rita Chaves, crítica literária e professora da Universidade de São Paulo.

O Prémio LeYa foi criado pelo grupo editorial que reúne mais de uma dezenas de editoras e chancelas de Portugal, Angola, Moçambique e Brasil, e o intuito do galardão é distinguir um romance inédito escrito em português.

O romance vencedor no ano passado foi "O teu rosto será o último", de João Ricardo Pedro, o primeiro autor português a receber o prémio. O engenheiro de profissão, escreveu o romance enquanto se encontrava desempregado.

Em anos anteriores venceram o prémio "O Rastro do Jaguar", do jornalista brasileiro Murilo Carvalho, em 2008, e "O Olho de Hertzog", do escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho, em 2009.

Na edição de 2010 o júri decidiu, por unanimidade, não atribuir o Prémio LeYa, dada a falta de qualidade dos originais apresentados.