Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Prejuízos para TAP podem "ser superiores a três milhões de euros"

O secretário de Estado das Obras Públicas já fez as contas aos efeitos da greve dos pilotos. Para o governante, "está a pôr-se em causa" processo de recuperação extraordinário da TAP.

Os prejuízos resultantes da greve dos pilotos portugueses para a TAP podem "ser superiores a três milhões de euros", indicou esta terça-feira o secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações, Paulo Campos.

Em conferência de imprensa conjunta com o secretário de Estado da Segurança Social, Paulo Campos disse que, em conjunto, as paralisações de hoje, quinta-feira e sábado, "podem provocar prejuízos directos para a TAP superiores a três milhões de euros".

"A TAP está a encetar um processo de recuperação extraordinário e este contexto, em que se avança para uma situação que penaliza a empresa, está a pôr-se em causa todo este esforço", afirmou o secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações.

Contudo, Paulo Campos disse que esta situação "não faz com que o Governo reveja as metas traçadas para a TAP", pois "a ambição que o Governo tem para a TAP é sempre a maior possível".

O contrato de gestão assinado entre a TAP e o Governo estipula um resultado líquido para a companhia aérea de 38 milhões de euros para o exercício de 2007.

A TAP considerou esta terça-feira estar a ser "desnecessariamente penalizada" pela greve dos pilotos portugueses e renovou o apelo aos passageiros para que alterem as datas das viagens.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da companhia alertou para os "prejuízos, em especial, de imagem" que acarreta para a TAP a greve dos pilotos, que hoje levou ao cancelamento de 65 voos da transportadora, responsável por mais de metade dos movimentos nos aeroportos portugueses.

"Esta situação vai agravar os prejuízos já sofridos hoje pela TAP, em especial afectando a imagem que tem vindo a ser construída de uma companhia em que os seus clientes podem confiar", afirmou o porta-voz da TAP.

A TAP considerou estar a ser "desnecessariamente penalizada" pela greve, justificada pelas alterações à reforma, uma decisão governamental.

A companhia sublinha a disposição revelada pelo Governo na negociação dessas matérias com o sindicato.

Também esta tarde, em conferência de imprensa, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) manifestou a intenção de manter a greve convocada para quinta-feira e sábado e que deverá ainda prosseguir com um novo período a 5, 7 e 09 de Novembro.

  • SPAC mantém acções de luta

    Os pilotos não vão suspender a greve iniciada esta terça-feira, enquanto o Governo não reconhecer a especificidade da profissão de piloto.

  • TAP cancela 30 voos

    Os passageiros aglomeram-se nos aeroportos de Lisboa, Porto e Funchal. Diversos voos domésticos e para a Europa foram cancelados, no primeiro dia da paralisação dos pilotos.