Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Possível descoberta de nova espécie de ave

Estima-se que existam nas Ilhas Desertas 258 casais da Freira do Bugio, que está classificada como espécie vulnerável.

Mário de Carvalho

A Sociedade Portuguesa de Estudos das Aves (SPEA) está analisar o que poderá vir a ser a descoberta de uma nova espécie designada por Freira do Bugio. "Estamos provavelmente perante uma nova espécie diferente da que existe nalgumas ilhas de Cabo Verde", disse Ivan Ramirez, coordenador do Programa Marinho da SPEA, durante um encontro de apresentação dos resultados preliminares deste trabalho, que decorreu na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O nome atribuído à ave deve-se ao facto do seu habitat estar localizado nas Ilhas Desertas - Ilhéu Chão, Deserta Grande e Bugio -, na Região Autónoma da Madeira. A caracterização da espécie faz parte de programa de investigação integrado no "Projecto LIFE IBAs Marinhas", financiado em mais de 900 mil euros pela União Europeia, por um período de quatro anos.

Ivan Ramirez afirma que ainda é cedo para avançar com conclusões. O projecto passa ainda por definir as zonas mais importantes em Portugal para as aves, em termos de alimentação, nidificação ou de repouso na relação directa com mar. Este inventário das áreas será divulgado em Outubro, altura do termo do projecto que começou em 2004.

Contudo, a SPEA está a tentar prosseguir com o projecto após o interesse manifestado no trabalho pela União Europeia e pelas autoridades portuguesas.

"Um dos problemas é que as aves marinhas passam pouco tempo em terra, tornando tudo mais complicado em termos de investigação", explica o coordenador do projecto, que abrange ainda outras espécies como a Cagarra, Alma-negra, Calcamar, Freira da Madeira, Gaivota de Audoin, Roquinho e Pintainho.

No processo de investigação, na Zona Económica Exclusiva de Portugal, a necessidade de seguir as aves no meio marinho obriga à utilização de diversos meios de instituições como o Aero Clube de Portugal, o Instituto Hidrográfico, o IPIMAR - Instituto de Investigação das Pescas e do Mar - o Parque Natural de Madeira e o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade. Outro elemento utilizado é a colocação de um dispositivo de localização electrónico na ave, de forma controlada devido ao custo dos pequenos aparelhos.

No caso da Freira do Bugio, classificada como espécie vulnerável, estima-se existirem 258 casais, nas Ilhas Desertas. Entre as ameaças que enfrenta, destaca-se a destruição dos ninhos por coelhos ou a sua ocupação pelas cagarras, a predação pela gaivota de patas amarelas ou o facto da concentração de pelo menos 90% da população reprodutora estar localizada numa área muito restrita.