Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Portugueses deixam o Líbano

Centenas de europeus, entre os quais dez portugueses, deixarão nas próximas horas Beirute, em direcção a Chipre.

DEZ dos 14 portugueses que tinham pedido ajuda para abandonar o Líbano vão sair do país num ferry grego com capacidade para 1300 passageiros que o Governo francês fretou em Chipre e que deverá ser escoltado por navios militares.

Os restantes quatro portugueses que pediram para sair do Líbano embarcarão para o porto cipriota de Larnaca na segunda viagem do ferry «Iera Petra», que deve chegar a Beirute no fim da tarde de hoje. 
Segundo o ministério francês dos Negócios Estrangeiros, que coordena as operações de resgate dos europeus, residentes e turistas, que desejam abandonar o Líbano, na primeira viagem embarcarão 800 franceses (entre os quais 300 crianças), 400 cidadãos da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, Grécia, Portugal) bem como uma dezena de suíços e 50 norte-americanos.

Outro ferry, fretado pelas autoridades norueguesas e com capacidade para 650 passageiros, é esperado em Beirute hoje à noite.

O Reino Unido evacuou hoje cerca de 40 pessoas de Beirute a bordo de helicópteros Chinook, da Royal Air Force.

Entretanto as embaixadas ocidentais no Líbano aconselham os seus nacionais a manter-se nos locais onde se encontram, até serem avisados dos lugares onde deverão concentrar-se para serem evacuados por barco.
As tentativas de chegar à fronteira síria por via terrestre são formalmente desaconselhadas, devido aos bombardeamentos dos principais eixos rodoviários pela força aérea israelita, que já fizeram dezenas de vítimas.
Ontem, oito canadianos de origem libanesa foram mortos e outros gravemente feridos durante o ataque à coluna de veículos civis em que viajavam.

Vários países da União Europeia enviaram navios de guerra para a costa libanesa para proteger a evacuação dos estrangeiros.

A Franca enviou dois navios, entre os quais um transporte de meios anfíbios, equipado com um hospital de campanha. O Reino Unido prevê a chegada a costa libanesa de dois navios de guerra nos próximos dois dias e um navio italiano zarpou hoje de Larnaca, a cerca de 85 km de Beirute.

Uma ponte aérea está a transportar de Damasco para Chipre, entre outros destinos europeus, milhares de pessoas que estão actualmente refugiadas na capital síria, entre os quais 1300 suecos. As autoridades sírias têm facilitado a passagem da fronteira mediante a atribuição de passes provisórios.

São mais de 100 mil os estrangeiros e bi-nacionais residentes no Líbano. O Canadá estima em 40 mil os portadores de passaporte canadiano residentes no Líbano, os EUA em 25 mil e a França em 22 mil, entre residentes e turistas.

«Um passaporte europeu é uma chave para fugir do inferno», comentava um empresário jordano, lamentando que «ninguém se preocupava em salvar a vida dos árabes».