Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Portugal mantém 26.ª posição

No último ano, pouco ou nada mudou em Portugal em matéria de corrupção, segundo um estudo hoje divulgado.

Portugal manteve este ano a 26.ª posição no índice de corrupção da Transparency International, um estudo onde a Finlândia, a Islândia e a Nova Zelândia surgem como os países menos corruptos.

O índice de percepções de corrupção (CPI) da Transparency International, hoje divulgado, atribuiu a Portugal 6,5 pontos numa classificação de 10 pontos, ligeiramente melhor do que os 6,6 pontos atribuídos em 2005, o que lhe permitiu manter a mesma posição.

A classificação da Transparency International assenta num índice compósito que recolhe a opinião de muitos analistas e empresários sobre a percepção da corrupção no sector público em 163 países.

O índice vai de zero a dez pontos, com zero a indicar elevados níveis de corrupção e dez a apontar para baixos níveis de percepção da corrupção (quanto menos pontos tiver, mais imagem de corrupção tem o país).

No topo da lista encontra-se a Finlândia, a Islândia e a Nova Zelândia, com 9,6 pontos, enquanto no final da classificação surge o Haiti, a Guiné, o Iraque e o Myanmar.

Portugal está à frente da Eslovénia (28.º), Hungria (41.º) e Itália (45.º), mas atrás da Espanha (23.º), da Alemanha (16.º), da França (18.º) e dos EUA (20.º).