Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Polícias manifestam-se contra novo estatuto profissional

O protesto é promovido pela Associação Sindical dos Profissionais de Polícia. Mais de 2000 agentes da PSP estão frente ao Ministério da Administração Interna.

"Mais de 2000" polícias iniciaram hoje cerca das 18:45 uma manifestação do Marquês de Pombal para o Ministério da Administração Interna, na Praça do Comércio, onde será entregue um memorando contra o novo estatuto profissional.

O protesto foi promovido pela Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP), cujos dirigentes garantem que os manifestantes são "mais de 2000, podendo chegar aos 2500".

Os manifestantes vão entregar um memorando ao ministro da Administração Interna, Rui Pereira, com as alterações que a ASPP - o maior sindicato da PSP - pretende ver feitas no estatuto.

O novo estatuto profissional da PSP entrou em vigor em janeiro deste ano e logo em fevereiro os polícias apresentaram propostas de alteração, sem obter "qualquer feedback" do ministro da Administração Interna, segundo disse anteriormente Paulo Rodrigues.

"O estatuto resolveu alguns dos problemas dos mais altos responsáveis da PSP, mas agravou problemas e injustiças nos casos dos profissionais afetos às categorias de agentes e chefes", referiu a ASPP.

Os polícias esperavam que o novo estatuto resolvesse "os problemas que o anterior criou" e que solucionasse "algumas injustiças, ao nível da progressão da carreira", mas o mesmo "não serve os interesses nem dos polícias nem da polícia", assinalou Paulo Rodrigues.

A manifestação de polícias servirá, segundo Paulo Rodrigues, como uma forma de luta "por um estatuto profissional digno, que dignifique carreiras e a sua progressão, ao contrário do que sucede com o documento atualmente em vigor, em tantos aspetos inaplicável à PSP".

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.