Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

PJ prende militar da GNR por tráfico de droga

Novas detenções no âmbito da Operação 'Escorpião' foram feitas ontem pela Judiciária. Empresário do sector automóvel também foi detido.

Um militar da Brigada Fiscal da GNR foi detido ontem pela Polícia Judiciária, por suspeita de integrar uma rede de tráfico de haxixe que estava a ser investigada há vários meses.

Na mesma ocasião, foi também preso um empresário do sector automóvel do centro do país, também apontado pela PJ como um dos cabecilhas da rede.

Segundo adiantou ao Expresso fonte ligada à investigação, o militar da GNR "tinha um papel de colaboração activa com a rede de tráfico". A acção efectuada ontem foi a quarta no âmbito da 'Operação Escorpião' nos últimos seis meses, quase sempre na zona sul do País.

Já em Junho, tinham sido detidos três portugueses e um marroquino e apreendida uma embarcação de pesca com 6300 quilos de haxixe.

Quatro meses depois, em Novembro, desta vez com a colaboração da Directoria de Faro e das autoridades espanholas, a Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes (DCITE) prendeu mais 8 indivíduos: cinco portugueses, um italiano da zona de Nápoles com ligações à Camorra, um francês e um marroquino.

Esta terá sido a acção mais decisiva, já que entre os detidos constavam alguns dos líderes da rede. Outros 1300 quilos de haxixe entraram para a casa-forte da PJ, na Avenida Duque de Loulé, em Lisboa.

No total, no âmbito desta operação, foram detidas 18 pessoas (16 das quais estão em prisão preventiva) e apreendidos cerca de 15 toneladas de haxixe, quatro embarcações (duas de pesca e duas lanchas rápidas), dois camiões e seis veículos ligeiros.