Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

PJ do Porto detém gangue violento

PJ do Porto eteve hoje de madrugada um gangue de seis homens, suspeito de associação criminosa, que entre Fevereiro e Maio assaltou com recurso a armas de fogo três farmácias e um restaurante.

Isabel Paulo (www.expresso.pt)

Seis homens com idades compreendidas entre os 18 e 34 anos foram hoje detidos no decurso da operação "Cruz Verde", nome de código atribuído pela PJ à investigação dos roubos a farmácias com recurso a armas de fogo, ocorridos nas zonas de Santo Tirso, Guimarães e Póvoa do Varzim.

De acordo com a PJ, os arguidos actuavam em grupos de três ou quatro elementos apenas, utilizando por norma veículos furtados nas deslocações ao local dos roubos.

No decurso dos assaltos às farmácias, o gangue apropriou-se violentamente de quantias em dinheiro de quase 4 mil euros. Entre Fevereiro e 28 de Maio último, os detidos furtaram ainda um estabalecimento de restauração no Grande Porto.

 

Dois dos detidos com antecedentes criminais

Ao longo das investigações, a PJ identificou e deteve ainda um sétimo homem, suspeito de ter fornecido ao grupo a arma de fogo utilizada nos assaltos, uma pistola ilegal e transformada para calibre 6.35. Na posse dos arguidos foi também apreendida uma pistola de plástico, gorros, telemóveis e uma gazua.

O grupo, que irá ser hoje submetido a interrogatório judicial, era constituído por operários, um servente da construção civil, um carpinteiro e um estudante. 

Segundo a PJ, dois dos arguidos já tinha antecedentes criminais por roubo com arma de fogo e condução sem habilitações legais.