Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Pirataria de videojogos aumentou em 2006

Nos últimos sete meses, a Inspecção-Geral das Actividades Culturais apreendeu mais de 2.250 videojogos piratas. Este número vem contrariar a crescente diminuição deste tipo de pirataria que, entre 2003 e 2004, rondava as 2.000 apreensões por ano.

Tanto a Sony Playstation, como a Microsoft , detentora da consola XBox, asseguram que todos os jogos «têm sistemas anti-cópia, de forma a fazer prevalecer os direitos de autor». Mesmo assim, o combate à pirataria dos videogramas continua a dar que fazer às autoridades.

«O aumento dos acessos à Internet nos lares portugueses, especialmente por utilizadores adolescentes (os principais consumidores de videojogos)», é apontado pela IGAC como uma das maiores diferenças na pirataria deste tipo de materiais. Longe vão os tempos em que era nas feiras, como a Feira da Ladra, em Lisboa, que se transaccionavam milhares de cópias ilegais de jogos.

«Apesar da maior dificuldade de actuação, cópias feitas em domicílios e a distribuição 'gota a gota' têm tido um combate eficaz por parte de órgãos de Polícia Criminal, através de buscas domiciliárias», revela a IGAC. Embora os números de 2006 revelem um aumento da pirataria de videojogos, a Inspecção-geral considera que ainda «é cedo para tirar conclusões».

Quanto ao futuro, as marcas estão optimistas. A Sony Playstation vai ser pioneira no lançamento do sistema Blu-Ray, um meio de armazenamento que proporciona conteúdo digital com níveis de qualidade de imagem sem paralelo. De acordo com a equipa de marketing da Playstation, este é um sistema de «segurança robusta» e prevê-se que «vá demorar muito tempo até que se consiga piratear».