Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Paulo Azevedo sucede a Belmiro

O maior empresário português anunciou hoje que irá deixar as funções executivas que ocupava na Sonae SGPS.

Belmiro de Azevedo revelou hoje que vai passar o testemunho ao seu filho, Paulo Azevedo, que irá assumir o cargo de presidente da comissão executiva da Sonae SGPS, depois da realização da Assembleia, em Abril.

O empresário continuará ligado ao grupo, mantendo a função de presidente do conselho de administração da Sonae SGPS. Ângelo Paupério, actual CFO da holding, vai substituir Paulo Azevedo na liderança da Sonaecom, empresa que detém a Optimus.

Belmiro de Azevedo considera que esta é uma sucessão natural, de um processo de reestruturação em curso que é permanente na Sonae. Na hora em que abandona os negócios, deixa um aviso: “eu não vou andar por aí, eu vou estar por aí”.

Na conferência de imprensa da apresentação de resultados, Belmiro de Azevedo foi especialmente crítico para com a actuação do Governo no processo da Opa sobre a PT. Teceu duras palavras à actuação do ministro Mário Lino e ao grupo de accionistas estratégicos da PT.

Sobre José Sócrates, Belmiro referiu que a orientação que foi dada à Caixa Geral de Depósitos (recorde-se que a CGD votou contra a desblindagem de estatutos na Assembleia Geral da PT) não pode ter deixado de ter o seu aval positivo.

Paulo Azevedo também deixou um aviso ao Governo sobre a estabilidade da PT : “um dia ainda nos vão pedir para salvar a pátria”.

Sobre o futuro, a Sonae não rejeita aquisições nas áreas das telecomunicações, dizendo que tudo está em aberto.