Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Passos Coelho apresenta saldo positivo da campanha para directas

A candidatura vencedora de Pedro Passos Coelho às eleições diretas para a liderança do PSD de 26 de março apresentou hoje as contas da sua campanha.

A candidatura vencedora de Pedro Passos Coelho às eleições diretas para a liderança do PSD de 26 de março apresentou hoje as contas da sua campanha, declarando um saldo positivo de 3220 euros. 

O diretor de campanha de Pedro Passos Coelho, Mauro Xavier, disse à agência Lusa que foram angariadas receitas no valor de 125 mil euros, enquanto as despesas de campanha foram, no total, 121,78 mil euros. 

Não havendo legislação que regule as campanhas internas dos partidos, estas contas foram hoje entregues à Comissão de Jurisdição Nacional do PSD, órgão presidido por Calvão da Silva, acrescentou o diretor de campanha de Pedro Passos Coelho. A candidatura de Pedro Passos Coelho tinha prometido apresentar as contas de campanha e cumpriu o prometido, assinalou Mauro Xavier. 

Donativos pessoais e angariações de fundos

"Encerrámos hoje formalmente o processo. Termino agora as minhas funções de diretor de campanha", disse Mauro Xavier, que é dirigente da empresa Microsoft. 

"Por uma questão de transparência", a candidatura de Pedro Passos Coelho constituiu uma associação para a campanha interna, intitulada "Construir uma alternativa", que vai agora ser encerrada, adiantou. 

Segundo Mauro Xavier, as receitas da campanha de Pedro Passos Coelho consistiram em donativos pessoais e angariações de fundos feitas em jantares, enquanto a maior fatia das despesas (33 por cento) foi gasta em comunicações, seguindo-se a preparação de eventos e marketing (27 por cento), os gastos com o pessoal que trabalhou na sede de campanha e com a sede (25 por cento) e as deslocações (15 por cento). 

Sobraram cerca de €3 mil

Quanto aos cerca de três mil euros que sobraram, Mauro Xavier disse que vai sugerir que estes sejam gastos, por exemplo, num jantar com os mandatários e os participantes na candidatura de Pedro Passos Coelho.  

Pedro Passos Coelho foi eleito presidente do PSD nas diretas de 26 de março com 61,20 por cento dos votos, vencendo Paulo Rangel, que ficou em segundo lugar, com 34,44 por cento dos votos, José Pedro Aguiar-Branco, que ficou em terceiro, com 3,42 por cento, e Castanheira Barros, que ficou em último, com 0,27 por cento dos votos. 

A candidatura de Pedro Passos Coelho às anteriores diretas do PSD, realizadas em 31 de maio de 2008 e vencidas por Manuela Ferreira Leite, também apresentou publicamente as contas da sua campanha, declarando 64 mil euros de donativos e 62,5 mil euros de custos, faltando descontar os impostos a pagar pela associação constituída para essa campanha.