Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Pais fecharam Escola da Pontinha

A escola básica 2,3 Gonçalves Crespo da Pontinha foi temporariamente fechada a cadeado esta manhã, num gesto da Associação de Pais que procurou chamar a atenção contra a falta de condições do estabelecimento de ensino.

Elementos da associação de pais bloquearam durante algumas horas o acesso à escola básica 2,3 Gonçalves Crespo da Pontinha, Lisboa, em protesto contra as más condições do estabelecimento.

O presidente da Associação de Pais, Paulo Mota, disse à agência Lusa que a escola foi fechada às 6h00 a cadeado, mas que às 6h30 uma delegação da Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL) cortou o cadeado permitindo a entrada de membros do Conselho Directivo. Os pais fizeram depois durante algumas horas uma barreira à entrada da escola "para chamar a atenção para a falta de condições".

Vários alunos contactados pela Lusa disseram que sentem frio nas salas de aula, onde há buracos no chão, falta de madeira nas cadeiras e portas.

"Queremos obras" gritam de vez em quando as dezenas de alunos que aguardam à porta do estabelecimento de ensino.

O presidente da associação de pais recordou que estavam previstas obras este ano no âmbito de verbas dispensadas pelo PIDAC, mas que não foram feitas.

"A escola foi construída há 31 anos, tem 680 alunos, 86 professores e 22 auxiliares de acção educativa e "só teve uma pintura exterior", disse Paulo Mota.