Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Pais e professores sem soluções para Matemática

Alunos portugueses ocupam 30º lugar num total de 40 países. Pais e professores não têm medidas práticas para ajudar.

Os exames nacionais evidenciam o insucesso escolar nas disciplinas de Português e Matemática dos alunos do 9º ano. A disciplina de Matemática continua a ser o «calcanhar de Aquiles» dos alunos portugueses, como é demonstrado no estudo internacional PISA (Programme for International Student Assessment), referente ao ano de 2003.

O PISA, que faz uma análise de três em três anos, revela que os alunos portugueses apresentam um conhecimento matemático insatisfatório (menos de 1%), muito abaixo da média dos países da OCDE (21%).

O estudo realizado em 41 países, incluindo a totalidade dos membros da OCDE (30 países), envolveu mais de 250 mil alunos de 15 anos, a frequentar a escola do 7º ao 11º anos. Em Portugal, os piores desempenhos foram registados por alunos do 7º ao 9º ano, tendo os restantes (do 10º ao 11º) obtido resultados mais satisfatórios.

A China (Hong-Kong) lidera a lista de «literacia» matemática (capacidade dos alunos aplicarem os seus conhecimentos matemáticos), com um total de 550 pontos, seguida da Finlândia (544) e da Coreia (542). Portugal ocupa um modesto 30º lugar (466).

O relatório aponta ainda os «escassos recursos das famílias» e a ausência de «monitorização das aulas e dos professores» como algumas das causas que podem justificar o fraco desempenho dos estudantes portugueses, no contexto dos países abrangidos pelo estudo. Apesar dos resultados pouco animadores para os alunos nacionais, «Portugal apresenta um dos valores médios mais elevados de interesse pela Matemática, de acordo com as declarações dos alunos», ultrapassando a Finlândia, Áustria, Luxemburgo e Japão, países com melhores desempenhos na disciplina.

Falhas identificadas, soluções nem por isso   

Contactadas pelo EXPRESSO, a Associação de Professores de Matemática (APM) e a Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) não apresentaram ideias concretas para melhorar a aprendizagem na disciplina de Matemática.

A Associação de Professores de Matemática (APM) aponta falhas, mas não adianta soluções. «Os programas desadequados aos interesses dos alunos, o excesso de disciplinas e a falta de interdisciplinaridade» são, na opinião de Cláudia Fialho, da APM, as principais razões do fracasso.

Maria José Viseu, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais, vai mais longe, acrescentando que a comunidade educativa deve «repensar a forma de ensinar matemática» nas escolas. «Em muitas escolas portuguesas foram criados clubes de matemática, ou de xadrez, que se destinam a desenvolver o raciocínio» e a ajudar os alunos com maiores dificuldades na disciplina.