Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Os romances de uma escritora mimada

Angel Deverell é uma medíocre escritora de livros cor-de-rosa que, na Inglaterra do principio do século XX, conhece um súbito sucesso.

"Angel - Encanto e Sedução" é o novo filme de François Ozon, uma produção britânica, onde o realizador de "Swimming Pool" e "8 Mulheres" conta a história da ascensão e queda de uma escritora de romances cor-de-rosa no início do século XX.

Angel Deverell (Romola Garai) é uma rapariga de uma pequena cidade britânica que tem a sorte de encontrar um editor (Sam Neill) que decide apostar nela, apesar de desaconselhado pela sua mulher (Charlotte Rampling) que considera a sua escrita demasiado pueril e imatura. Apesar de todas as suas limitações, o romance vai fazer um tremendo sucesso e a vida de Angel conhece uma mudança radical.

Vinda da modesta mercearia da sua mãe (Jacqueline Tong), em breve vai mudar-se, com a sua assistente Nora (Lucy Russell), para uma luxuosa mansão, a "Paradise House". Com o sucesso, passa a poder dar largas a todos os seus caprichos, tornando-se numa personagem mimada, habituada a ter tudo o que quer e cuja fantasia trespassa dos seus romances para a sua própria vida.

Esme (Michael Fassbinder), um pintor atormentado que é irmão da sua assistente, é dos poucos à sua volta que não parece grandemente impressionado com o seu sucesso, o que tem efeito de deixar Angel obcecada em conquistá-lo. Acaba por conseguir casar com Esme, que vê nela a possibilidade de resolver a sua situação financeira, mas este vai-lhe ser infiel e acaba por ir combater na primeira Grande Guerra.

Os romances de Angel deixam então de reflectir a sua visão encantada e fantasiosa para passarem a estar carregadas de amargura, condenando a guerra a partir da sua perspectiva egoísta. Tudo o que Angel havia alcançado vai se desmoronar.