Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Os 30 dias que abalaram a Opel

12 de Junho - Os trabalhadores da fábrica da Azambuja recebem um comunicado da administração da GM, dando conta da intenção de transferir o fabrico do modelo Combo para a fábrica de Saragoça, sem contudo adiantar qualquer data. A decisão acabaria por não ser formalizada porque o Governo português pediu um prazo de cinco semanas para tentar negociar com a administração do grupo.

14 de Junho - O vice-presidente da GM e o ministro da Economia reúnem-se. No final do encontro, Manuel Pinho garante que continuava «tudo em aberto».

16 de Junho - Os trabalhadores da fábrica fazem greve em sinal de protesto. Mais de um milhar de operários marcham a pé até à Câmara Municipal da Azambuja, gritando palavras de ordem como: «Não à traição, sim à produção».

20 de Junho - Os operários da Azambuja voltam à greve, desta vez de duas horas por turno. A iniciativa conta com a solidariedade dos operários das fábricas de Saragoça (Espanha) e Russelsheim (Alemanha).

O ministro da Economia afirma que o Governo pretende criar «condições ainda mais favoráveis» à GM, de forma a que a empresa recue na intenção de encerrar a fábrica. Manuel Pinho elogia os trabalhadores da GM pela sua «elevada produtividade».

21 de Junho - O presidente da Agência Portuguesa para o Investimento afirma que a API estava disposta a ajudar a criar um «cluster» em torno da Opel na Azambuja, mas que se recusa a pagar para que esta não saísse do país.

22 de Junho - Manuel Pinho garante «total coordenação» com a API. O ministro da Economia adverte ainda que a General Motors terá de devolver o valor dos incentivos concedidos pelo Estado Português caso decida encerrar a unidade antes de 2009.

23 de Junho - A GM envia uma carta aos sindicatos onde reafirma o fecho da unidade a 31 de Outubro. O grupo admite ainda que «o cenário mais provável», caso não fosse encontrada uma «solução viável», seria a transferência da produção do Combo para Saragoça.

27 de Junho - O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, admite que o eventual fecho da fábrica da Opel terá impacto negativo nas exportações portuguesas, mas prevê que seria compensado pelos efeitos de outros investimentos.

29 de Junho - A comissão de trabalhadores da unidade da Azambuja admite a possibilidade de realizar uma nova greve contra o eventual encerramento.

11 de Julho - GM anuncia que a fábrica da Azambuja vai encerrar no final de Dezembro.