Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Obama "furioso" com maré negra

As declarações de Barack Obama serão ouvidas esta noite na CNN no programa "Larry King Live". O Presidente norte-americano está hoje de visita ao Luisiana, o Estado mais afetado pelo derrame de petróleo e adiou as viagens ao estrangeiro. 

O Presidente norte-americano, Barack Obama, disse hoje estar "furioso" com toda a situação do derrame de petróleo no Golfo do México, causado por "alguém que não pensou o suficiente nas consequências dos seus atos".

Numa entrevista concedida ao programa da cadeia CNN "Larry King Live", emitido esta noite, mas do qual já são conhecidos alguns excertos, Barack Obama disse, no entanto, que a sua fúria não serve de muito neste caso e que o que tem de fazer "é resolver o problema".

"Afinal trata-se das gentes no Golfo que estão a ser prejudicadas e do que faço para que possam recuperar a sua maneira de viver", disse.

Como noutras ocasiões, o Presidente americano garantiu que a empresa responsável pelo derrame, a British Petroleum (BP), terá de pagar todos os custos e indemnizações causados pelo desastre.

"Assegurar que são responsabilizados"

"O meu trabalho é assegurar que são responsabilizados", afirmou Obama ao acrescentar que a companhia "já sentiu o seu descontentamento" mas que ele não viu , como gostaria, "um tipo de resposta rápida" por parte da BP.

O derrame de petróleo transformou-se na pior catástrofe ecológica do país, mas o Presidente continua a apoiar a perfuração a grande profundidade desde que "possa ser concretizada de forma segura".

Barack Obama estará hoje na costa do Luisiana, o Estado mais afetado pelo derrame, para supervisionar as tarefas de luta contra e limpeza da maré-negra, a terceira visita do presidente americano ao local depois da explosão e afundamento da plataforma "Deepwater Horizon".

Viagens adiadas

A Casa Branca anunciou hoje que o presidente Barack Obama adiou as suas viagens à Indonésia e Austrália que deveria visitar no final do mês.

Na deslocação à Ásia e Oceânia, Obama iria efetuar uma paragem em Guam.

O porta-voz da Casa Branca anunciou ao início da madrugada que o Presidente adiava as viagens para uma data ainda não determinada e com profundo pesar.

Até agora a presidência americana não justificou o adiamento, mas o derrame de petróleo no Golfo do México poderá ser a principal razão para que Obama pretenda permanecer em solo americano.

Barack Obama conversou ao telefone com os líderes da Austrália e da Indonésia para comunicar o adiamento da visita e de acordo com o porta-voz da Casa Branca o presidente americano pretende agendar novas deslocações o mais depressa possível.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***