Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

"O Solitário" condenado a sete anos e meio de prisão

Jaime Giménez Arbe, conhecido como "O Solitário", foi hoje condenado a uma pena de sete anos e meio de prisão pelo Tribunal da Figueira da Foz.

O Tribunal Judicial da Figueira da Foz sentenciou hoje o alegado assaltante de bancos conhecido como "O Solitário" a sete anos e meio de prisão, pelos crimes de roubo agravado na forma tentada e detenção de armas proibidas, entre outros ilícitos.

O espanhol Jaime Giménez Arbe, 52 anos, foi também condenado pelos crimes de detenção de munições proibidas e de falsificação, tendo sido absolvido do crime de resistência à autoridade.

Em cúmulo jurídico, o Tribunal decidiu aplicar, por esses crimes, sete anos e meio de cadeia a "O Solitário".

Jaime Giménez Arbe era acusado de cinco crimes, após ter tentado assaltar uma dependência bancária na Figueira da Foz, em Julho de 2007, altura em que foi detido, no exterior da agência, pela Polícia Judiciária.

Nas alegações finais, a advogada de defesa de "O Solitário", Lígia Borbinha, tinha pedido a absolvição do seu cliente dos crimes de roubo na forma tentada e resistência à autoridade.

Por seu turno, o Ministério Público requereu ao tribunal a condenação do arguido a "pena efectiva" de prisão pelos cinco crimes de que era acusado.

Em Julho deste ano, cerca de um ano depois de ter sido preso em Portugal, Giménez Arbe foi julgado em Pamplona, norte de Espanha, pelo homicídio de dois guardas civis, crimes que lhe valeram a condenação a 47 anos de prisão.