Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

O julgamento da máfia

«Mafioso Quanto Baste…», filme de Sidney Lumet, é baseado num famoso julgamento que teve lugar nos anos 80.

Estreia-se esta quinta-feira nos cinemas «Mafioso Quanto Baste…», o filme em que Sidney Lumet recria o famoso julgamento de uma família da máfia de Nova Iorque que, espantosamente, terminou com a absolvição de todos os réus.

O sistema dentro do qual decorrem os julgamentos nos Estados Unidos presta-se a emotivas sessões e Hollywood tem aproveitado esse ambiente para muitos filmes. O realizador Sidney Lumet é um especialista dentro do género. Em «Mafioso Quanto Baste…» vai buscar um caso ocorrido em finais dos anos 80. Trata-se do maior processo contra o crime organizado de Nova Iorque, que colocou em tribunal 20 elementos da «família» Lucchese perante 76 acusações, entre as quais a de narcotráfico. O julgamento estendeu-se durante quase dois anos (1987-88), ao longo dos quais se assistiu a uma fantástica reviravolta.

O protagonista da história é Jackie DiNorscio, um dos réus, que a determinada altura é incitado a testemunhar contra alguns dos seus melhores amigos, a fim de diminuir uma provável sentença de 30 anos de prisão. Contudo, Jackie vai surpreender todos. Não só se recusa a trair a sua «família»,como abdica de advogado e toma em mãos a tarefa de convencer os membros do júri da sua inocência. Sozinho, ele vai conseguir ludibriar o sistema, fazendo prolongar o julgamento por intermináveis sessões que, apesar das evidências, terminam com a absolvição de todos os réus.

A personagem é interpretada por Vin Diesel, que precisou de mudar radicalmente de aspecto (nomeadamente de engordar uns bons quilos) para o papel. O actor diz que foi um desafio ter interpretado pela primeira vez uma personagem real e que chegou mesmo a ficar um pouco obcecado por este trabalho. Quando começou a preparar-se, Diesel chegou a contactar com Jackie, que entretanto faleceu. Apesar de não se tratar de uma comédia (o registo mais habitual do actor), Diesel pode aproveitar as suas características de «entertainer» para recriar o autêntico circo que Jackie montou no tribunal. «I’m not a gangster, I’m a gagster» («não sou um mafioso, mas um comediante»), diz a determinada altura para conquistar a simpatia do júri.

O argumento vai buscar muitas transcrições das sessões do tribunal. «Mafioso Quanto Baste…» é um filme baseado num caso real, sem espaço para catarse e para a punição dos criminosos.