Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

O fado das viúvas hindus

«Água» é um filme que mostra o triste destino a que ficam relegadas as viúvas hindus e cuja produção chegou a ter de ser interrompida devido às ameaças de fundamentalistas indianos.

A acção de «Água» recua no tempo até 1938 (o ano em que Mahatma Gandhi regressa à Índia, então sobre o domínio britânico), mas o tema permanece tão actual e sensível que provocou uma série de manifestações e ameaças de morte de fundamentalistas hindus, levando a que a produção do filme fosse suspensa e só discretamente retomada, quatro anos depois, no vizinho Sri Lanka.

«Água» parte da história de uma rapariga que, ainda criança, foi forçada pela sua família a casar com um homem bastante mais velho e doente, que em breve viria a falecer, para depois mostrar o triste destino para o qual são relegadas as viúvas hindus. Apesar do casamento de crianças hindus já não ser hoje uma prática corrente na Índia, ainda são frequentes os casamentos de jovens raparigas com homens mais velhos, financeiramente abastados. Esta é uma forma das famílias pobres contornarem o problema de não terem um dote para oferecer.

Deepa Mehta, o realizador e argumentista, afirma que decidiu fazer o filme após ter visto uma viúva a chorar desorientada junto ao Ganges (o rio sagrado para o qual os hindus se deslocam para morrer), enquanto se encontrava em Varanasi a filmar um episódio de «As Crónicas do Jovem Indiana Jones».

Mehta, ele próprio hindu, sentiu que tinha a obrigação de terminar esta película, como forma de questionar as severas normas religiosas que, apesar de centenárias, ainda hoje fazem com que muitas mulheres sejam proscritas após terem enviuvado.

Segundo essas normas, as mulheres na situação de Chuyia (a protagonista do filme) têm três hipóteses: casar com o irmão mais novo do seu defunto marido (caso a família esteja interessada), suicidar-se ou viver o resto dos seus dias celibatárias numa instituição de viúvas.

Após a morte do marido, Chuyia é devolvida à casa dos pais, de onde acaba por seguir para uma «Casa de Viúvas» em Benares (actual Varanasi). Ingenuamente, ela acredita que apenas está ali temporariamente e que em breve a sua mãe a irá buscar de volta.

Com a simplicidade de um conto, o filme mostra o drama para que foi relegada Chuyia e as restantes mulheres mais velhas da «Casa das Viúvas» e as dificuldades que enfrenta quem ousar fazer frente a essa situação.