Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

O clube dos homens sós

A crise dos homens na meia-idade é o tema da comédia «Crise dos 40» que agora estreia-se no Teatro Mundial, com encenação de Celso Cleto e António Melo no principal papel.

«CRISE dos 40» é uma comédia escrita pelos espanhóis Eduardo Gálan e Pedro Gómez que começou por ser levada à cena por Celso Cleto no país vizinho e que agora estreia-se no Teatro Mundial, numa adaptação para português que conta com interpretações de António Melo, Almeno Gonçalves, Joaquim Nicolau e Fernando Ferrão.

«É uma comédia que fala da crise dos 40, que coincide com uma altura em que os homens fazem um balanço da sua própria vida», referiu ao EXPRESSO o encenador Celso Cleto.

No centro do enredo surge Joaquim Fonseca (António Melo), um guionista de televisão de 42 anos, que acabou de ser abandonado pela sua mulher que o trocou por um homem mais novo, «menos gordo e com mais cabelo». A peça começa com ele sentado no centro do sofá, desolado e prestes a entrar em depressão. Joaquim surge como um «bebé grande», de pêra e barriga, que deixou de saber tomar conta de si próprio e que não consegue lidar com o que está a acontecer: ter sido abandonado pela mulher e ter de vender o apartamento T4 em que ambos habitavam, que o seu emprego precário não lhe permite manter.

A venda da casa acaba por dar azo a um grande imbróglio. Angustiado e mais indeciso do que nunca, Joaquim vê pela frente uma série de potenciais compradores: o seu amigo e intermediário na compra dos guiões televisivos, o homem das mudanças ou o psicólogo que também está em processo de divórcio. Cada um com os seus truques e artimanhas, todos eles lhe prometem ajudá-lo a recuperar-se enquanto homem e a tornar-se «sex symbol».

O humor da peça é desenvolvido dentro desse universo masculino e de um ambiente de complô e ressentimento em relação às mulheres, de homens que por debaixo de uma capa de duros e sedutores escondem uma profunda solidão.