Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

"Não abro nem fecho portas a futuros Governos"

Afirmação é de Pedro Passos Coelho, cuja preocupação "é que o atual Governo assuma as suas responsabilidades" e que o PSD "não fique numa posição de bota abaixo" e apresente "propostas construtivas".

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, foi hoje questionado sobre a possibilidade de vir a governar coligado com o CDS-PP e respondeu que não abre nem fecha portas quanto a futuros Governos.

Pedro Passos Coelho disse também que a sua preocupação "é que o atual Governo assuma as suas responsabilidades e que o PSD, como maior partido da oposição, não fique numa posição de bota abaixo" e apresente "propostas construtivas, quer para o curto prazo, quer de efeitos mais estruturais".

O presidente do PSD falava aos jornalistas no final de uma reunião com a Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), na sede desta entidade, em Lisboa, que durou cerca de duas horas. 

Confiança dos portugueses

Questionado sobre se está a pensar governar em coligação com o CDS-PP, Pedro Passos Coelho começou por declarar: "Nós não vamos, nesta fase, eu, pelo menos, não vou, nesta fase, pronunciar-me sobre equações possíveis de futuros Governos".  

À pergunta se estava a fechar uma porta, respondeu: "Nesta altura não abro nem fecho portas quanto a futuros Governos".  

"A missão do PSD nesta altura é a de poder contribuir também com propostas, quer para o curto prazo, quer em termos estruturais, que possam dar aos portugueses a perspetiva de terem a confiança de que faremos tudo o que está ao nosso alcance para inverter este clima de degradação, quer do emprego, quer da economia", acrescentou. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.