Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Museu de Nice roubado em pleno dia

Quatro quadros de valor incalculável foram roubados do Museu de Belas Artes Jules Cheret, no centro de Nice, durante a tarde de domingo, por homens armados e encapuzados .

O modo destemido como o assalto foi feito causou algum espanto. Quatro quadros de valor incalculável – dois Bruegel, um Sisley e um Monet – foram roubados do Museu de Belas Artes Jules Cheret, situado no coração da cidade da Riviera francesa de Nice, por quatro ou cinco homens armados e encapuzados que aproveitaram a tarde de domingo, período de entrada livre, para levarem a cabo o assalto.

A polícia diz que na altura encontravam se apenas seis visitantes no edifício. Os assaltantes ameaçaram os funcionários do museu, retiraram os quatro quadros e colocaram-nos em sacos, fugindo em seguida.

Dois dos quadros roubados, dos pintores impressionistas Claude Monet e Alfred Sisley, já haviam sido alvo de outro roubo ocorrido em 1998, mas foram recuperados, uma semana mais tarde, numa cidade próxima, declarou Monique Bailet, curador assistente do museu. O curador de então foi considerado culpado pelo roubo e condenado a cinco anos de prisão. O quadro de Sisley também havia ainda sido alvo de outro roubo em 1978, quando se encontrava emprestado para uma exposição em Marselha, sendo encontrado dias depois na mesma cidade.

Os quadros a óleo agora roubados são o “Falaises prés de Dieppe”, pintado por Monet em 1897, “Allee de peupliers de Moret”, criado por Sisley nos anos de 1880, “Allegorie de l’eau” e “Allegorie de la terre”, de Jan Breugel que viveu entre 1568 e 1625.

“Um dos funcionários do primeiro piso disse-me que o homem o mandou deitar-se no chão enquanto colocavam os quadros em sacos. Eles queriam levar um quinto mas não conseguiram”, referiu Bailet.

A polícia lançou uma investigação sobre o caso, referindo que os quadros não poderão ser colocados à venda normalmente no mercado pois são demasiado conhecidos.

O museu de Nice fica situado na antiga mansão da princesa ucraniana, Elisabeth Vassilievna Kotschoubey, construída em 1878.

A autarquia de Nice adquiriu a mansão em 1925 e inaugurou o museu três anos mais tarde, baptizando-o como o nome do artista francês Jules Cheret, que passou os seus últimos anos de vida na cidade.

A colecção do museu abarca obras dos últimos quatro séculos, de autores como Cheret e outros artistas que viveram e trabalharam na Riviera francesa, tais como Gustav Adolf Mossa. Conta também com esculturas de Jean-Baptiste Carpeaux, François Rude e Auguste Rodin e peças de cerâmica de Pablo Picasso.