Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Morreu Rosa Casaco

Durante 37 anos foi umas das figuras mais temidas da polícia da ditadura. Em 1998, deu a sua última grande entrevista, onde afirmou ao EXPRESSO que morreria de «consciência tranquila».

MORREU António Rosa Casaco, o antigo inspector da PIDE que chefiou a brigada que assassinou o General Humberto Delgado.

Fugido do país depois do 25 de Abril, voltou clandestinamente a Portugal, em 1998, revelando, em entrevista ao EXPRESSO, que morreria «de consciência tranquila» e que «voltaria a ser PIDE». Acabou por falecer aos 91 anos, no anonimato.

Embora tenha sido condenado à revelia, há cerca de 20 anos, a oito de prisão, por falsificação, destruição de documentos e por ter feito parte da PIDE, o corpo de polícia política da ditadura, Rosa Casaco nunca chegou a cumprir a pena.

Refugiado durante vários anos entre o Brasil e Espanha, acabou por regressar a Portugal em 2002, depois do Supremo Tribunal de Justiça ter decretado a extinção do procedimento criminal.

Rosa Casaco nasceu a 1 de Março de 1915, em Rossio ao Sul do Tejo (Abrantes), filho de pai incógnito. Ingressou na polícia da ditadura em 1937, com apenas 21 anos, tornando-se num dos mais temidos operacionais da PIDE.

O antigo inspector da PIDE acabou por falecer no anonimato, em Cascais, com 91 anos. As causas da sua morte ainda não são conhecidas.