Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Mexia preparado para agir

Apesar de não querer comentar os rumores de uma possível Oferta Pública de Aquisição sobre a EDP, António Mexia assegura que a companhia já tem planos para reagir.

António Mexia não comenta as especulações do mercado sobre o eventual OPA hostil sobre a EDP vinda de Espanha. O presidente do conselho de administração executivo da eléctrica portuguesa afirmou em Oviedo, durante a vista do Presidente da República à Central Termoeléctrica de Aboño, do Grupo Hidrocantábrico, que “não se pode comentar uma coisa que não se sabe o que é”.

Depois da aquisição por parte da ACF, a construtora espanhola de Florentino Perez, de 6,31% do capital da Hiberdrola – que detém 10% do capital da EDP –, surgiram rumores de que a eléctrica nacional poderia estar à beira de uma OPA. António Mexia assegura que a companhia “está preparada para reagir”, mas considera que é prematuro fazer qualquer comentário.

O presidente da EDP sublinha que a empresa “tem uma estratégia clara, tem os accionistas de acordo com essa estratégia, e vai seguir o seu caminho estando sempre atenta àquilo que se passa no seu mercado de referência, que é o mercado Ibérico”.

Questionado sobre se a EDP, depois da reorganização accionista verificada em Espanha está mais vulnerável a uma OPA, Mexia respondeu que “é claro para todos quais são os estatutos da empresa, quais são as regras, quais são as participações sociais que existem e qual é a intenção dos principais accionistas. E por isso nada mudou”.

O presidente da EDP garantiu ainda que não existem parceiros privilegiados porque, a EDP está aberta a novas parcerias, como consta do plano estratégico aprovado ontem “desde que isso permita fazer crescer a concentração contabilística da empresa”.