Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Maré negra "ameaça o modo de vida" do Louisiana

A maré negra provocada pela fuga de petróleo numa plataforma no golfo do México é, pelo menos, três vezes mais extensa do que se previa inicialmente.

A maré negra no golfo do México é potencialmente catastrófica e "ameaça o modo de vida" do Louisiana, advertiu sábado o governador deste Estado, Bobby Jindal.

"Esta mancha de petróleo ameaça não somente as nossas águas e a nossa pesca, mas também o nosso modo de vida", declarou Bobby Jindal perante a imprensa.

O governador indicou ter sido informado pelos responsáveis federais que o essencial da maré negra só deverá atingir a costa hoje, ao contrário do que tinha sido avançado anteriormente, apontando que poderia chegar sábado.

Três vezes maior do que o previsto

A maré negra provocada pela fuga de petróleo numa plataforma no golfo do México é, pelo menos, três vezes mais extensa do que se previa inicialmente, segundo um investigador da universidade de Miami.

Hans Graber baseou-se na observação das imagens de satélite realizadas por um centro de imvestigação espcializado, associado à universidade de Miami, no estado norte-americano da Florida.

"De acordo com as últimas imagens de satélite que recebemos, o tamanho da mancha é três vezes maior" do que as estimativas iniciais, declarou o especialista que dirige o Center for Southeastern Tropical Remote Sensing (CSTARS) daquela universidade.

No dia 26 de abril, a maré negra cobria uma extensão de cerca de 2600 quilómetros quadrados, e a 29 de abril tiha atingido os 9000 quilómetros quadrados, afirmou, acrescentando que deverão chegar novas imagens até domingo. A mancha "está sempre a aumentar, por isso, é provável que já seja maior do que calculámos", adiantou.

Corrida à contenção do crude

Várias operações de contenção da maré negra estão a decorrer simultaneamente, indicaram a guarda costeira e a direção da British Petroleum (BP), que explora a plataforma que se afundou a 22 de Abril, causando o derrame.

A petrolífera britânica apelou a outras empresas de petróleos que ajudem a conter o vazamento de crude e divulgou um número para onde os voluntários para ajudar em operações de limpeza em zonas costeiras podem ligar.

Mais de 84 quilómetros de barragens flutuantes foram implantados e já foram retirados mais de 3,8 milhões de litros de óleo misturado com água.

Duas outras plataformas de petróleo no Golfo cessaram as suas operações, por motivos de segurança, e estão a ser evacuadas. Uma parte das águas do Mississippi, o maior rio do país, foram desviadas no sentido da mancha, para tentar afastá-la.

O porta-voz da BP, John Curry, disse que quatro embarcações de submarinas tentaram fechar as válvulas de segurança, mas sem sucesso.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai deslocar-se às zonas afetadas pela maré negra no Golfo do México nas próximas 48 horas para avaliar a situação e os esforços em curso para conter o derrame de petróleo.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.