Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Mar volta a invadir parque de campismo

Quando o mar permitir, será iniciada a construção de novo paredão na zona que separa a praia do norte do parque de campismo.

O mar voltou esta tarde a invadir o parque de campismo do CCL – Clube de Campismo de Lisboa, na Costa da Caparica. Já durante a madrugada o paredão que separa o parque do CCL da praia do norte foi rasgado pelas ondas.

A situação de risco vai repetir-se durante esta noite e a tarde de amanhã, devido às marés vivas. Entretanto, a Protecção Civil de Almada aumentou de 50 para 100 metros o perímetro de prevenção junto à linha de costa, ampliando a zona interdita aos campistas, na qual não é possível circular.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica, António Neves, os estragos desta tarde foram ligeiramente piores do que os provocados pelas marés vivas desta manhã. Só não se registaram danos maiores no parque porque os bem mais valiosos já tinham sido retirados do local.

As ondas da praia-mar, pelas 16h30, obrigaram à suspensão dos trabalhos das máquinas do Serviço Municipal de Protecção Civil que, desde o início da manhã, estavam a tentar desassorear a vala junto ao parque de campismo para evitar que mais água entrasse nas instalações.

Entretanto, durante uma visita às dunas da Costa da Caparica, o presidente do PSD, Marques Mendes, defendeu hoje uma gestão integrada para o Litoral, com a criação de uma "espécie de agência" para uma gestão integrada da costa marítima, que dê resposta a situações deste tipo. O líder social-democrata sugere o uso de fundos comunitários, referindo que o novo QREN (quadro comunitário de apoio) "é uma excelente oportunidade, porque todas estas intervenções carecem de meios financeiros".

A nova invasão das ondas coincidiu com a conferência de imprensa realizada no final da tarde, em Lisboa,  pelo ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia, sobre a situação na Costa da Caparica e as intervenções do INAG.

O ministro anunciou para dentro de 15 dias a um mês o início das obras de reconstrução do dique e a alimentação da praia com cerca de 500 metros cúbicos de areia. Dentro de um mês, será lançado o concurso público internacional para a obra de enchimento das praias e a reconstrução do cordão dunar entre São João da Caparica e a Trafaria, que envolve três milhões de metros cúbicos de areia. Estes trabalhos, orçamentados em 15 milhões de euros, vão avançar ainda este ano, devendo estar concluídos em 2008.