Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Jovens patrulham praias de Cascais

Mais de 600 jovens do concelho de Cascais vão passar as férias de verão a patrulhar as praias da costa do Estoril, a prestar auxílio às pessoas com mobilidade reduzida e a recolher amostras de água para serem analisadas. 

Mais de 600 jovens do concelho de Cascais vão passar as férias de verão a patrulhar as praias da costa do Estoril, a prestar auxílio às pessoas com mobilidade reduzida e a recolher amostras de água para serem analisadas.     Com idades entre os 15 e 21 anos, 640 jovens vão transformar-se, já a partir da próxima semana, em "marézinhas", prontos a trocar o seu tempo livre por um verão a controlar as praias de Cascais, ao mesmo tempo que prestam serviços de apoio aos que necessitarem.     Para o vereador do pelouro da Juventude da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, o Programa Maré Viva, que este ano reuniu o maior número de inscritos de sempre (1200 inscrições), simboliza "o espírito de voluntariado e dedicação dos jovens aos serviços sociais", mas também pode refletir a crise que se vive.     "Não desvalorizando o espírito de voluntariado que cada vez se assiste mais nos jovens, a crise que se vive impede que as pessoas viagem e, talvez também por isso, haja mais jovens a procurarem o que fazer nestas férias", acrescentou o responsável.  

Programa Maré Viva 2010, promovido pela Câmara de Cascais 

A iniciativa surge no âmbito do Programa Maré Viva 2010, promovido pela Câmara de Cascais, que pretende dar aos jovens uma ocupação dos tempos livres, através de actividades de apoio aos banhistas, responsabilizando-se pela vigilância, segurança e limpeza.     A promoção e sensibilização para um bom ambiente e saúde pública são os objetivos do programa.     O Programa Maré Viva 2010 decorre entre junho e setembro, dividido por três turnos, de 30 dias cada, assegurando diariamente a presença permanente de jovens entre as 09:00 e as 19:00.     Em 2009 os "marézinhas" prestaram várias intervenções que contribuíram para o sucesso da iniciativa, contabilizando-se 4394 ações de apoio à vida humana, entre alertas aos Bombeiros, INEM e prestação direta de primeiros socorros.     Além disso, foram prestadas 282 ações de apoio social, como reencaminhamento de pessoas perdidas, e 115 ações de vigilância e segurança, com alertas à Polícia Marítima, Polícia Municipal, PSP e GNR.     ***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.