Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Irão não pode comprar mísseis russos

As novas sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU não permitem o fornecimento de armas ao Irão, em particular os mísseis russos S-300.

As novas sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra o Irão impedem o fornecimento de mísseis russos S-300 à República Islâmica, declarou uma fonte do Kremlin, citada pelas agências russas.

Na quinta feira, Andrei Nesterenko, porta-voz da diplomacia russa, declarou que os fornecimentos de sistemas de defesa anti-aérea S-300 russos ao Irão não ficam sob a alçada da nova resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre novas sanções contra esse país.

"A resolução aprovada ontem (quarta feira) pelo Conselho de Segurança contra o Irão contém referências às armas interditas de exportar para o Irão, posso dizer-vos que os mísseis DCA, excetuando os sistemas portáteis, não figuram na lista", precisou o diplomata, quando interrogado sobre o conteúdo da resolução.

Porém, Nesterenko recusou-se a responder à pergunta sobre se a Rússia irá ou não fornecer os complexos S-300 a Teerão.

Polémica sem resposta inequívoca das autoridades

"Talvez essa questão deva ser comentada pelas nossas instituições militares e pelas estruturas que respondem pelos fornecimentos desses tipos de armas a países estrangeiros", frisou.

Moscovo adiou várias vezes a entrega dos complexos S-300 a Teerão, o que tem provocado duras críticas da parte das autoridades iranianas.

Na quinta feira, a agência Interfax, citando "um alto representante do sistema de exportações de armamentos da Rússia", anunciou que Moscovo suspende a cooperação técnico-militar com o Irão devido à resolução aprovada na véspera pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"A decisão do Conselho de Segurança da ONU é de cumprimento obrigatório para qualquer país e a Rússia não é exceção. Claro que será congelado o contrato de fornecimento a Teerão dos sistemas de defesa antimíssil S-300", declarou a fonte.

Na véspera, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução que impõe ao Irão novas sanções depois da sua recusa de pôr fim aos trabalhos de enriquecimento de urânio.