Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Garcia de Orta nega fecho da urgência de Obstetrícia

Hospital Garcia de Orta, em Almada, garante que está a reforçar a equipa de médicos para assegurar "a continuidade da assistência obstétrica e ginecológica" e diz que a hipótese do fecho da urgência não se coloca.

Cristina Bernardo Silva (www.expresso.pt)

Vários especialistas dos serviços de Ginecologia e Obstetrícia transitaram para outras unidades, como o novo Hospital de Cascais (unidade pública com gestão privada). A ruptura nos serviços do Hospital Garcia de Orta já levou à saída, só na última semana, do director do serviço de Ginecologia, Hélio Retto, e da directora do serviço de Obstetrícia, Ester Casal. 

Manuel Hermida, ex-director do serviço de Obstetrícia do hospital, afirmou ao "Público" que as actuais carências de médicos reduziram os serviços a cerca de metade, o que levará ao encerramento das urgências de Obstetrícia em Junho. O conselho de administração d0o Hospital garcia de Horta assegura, no entanto, que está a desenvolver "todos os esforços para garantir o normal funcionamento do serviço de Obstetrícia pelo que, neste momento, não se coloca qualquer hipótese de encerramento da Urgência de Obstetrícia". E refere que está "prevista a contratação de pelo menos mais sete especialistas nesta área, para além de três profissionais entretanto já contratados".

Manuel Hermida disse ainda que o hospital terá contratado médicos para suprir as carências "sem especialidade ou especialistas no Brasil sem especialidade reconhecida em Portugal", mas a administração afirma não ter "actualmente nenhum médico especialista contratado que não tenha a sua especialidade devidamente reconhecida pela Ordem dos Médicos". 

Défice de ginecologistas/obstetras

O obstetra Luís Graça criticou hoje a abertura de serviços de Obstetrícia em novos hospitais. Na opinião deste especialista, está-se a desperdiçar dinheiro e a comprometer a qualidade do que se oferece aos utentes com a abertura daqueles serviços nos hospitais públicos ou público-privados.

Luís Graça, que é director do serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, lembra que a natalidade "está a baixar significativamente em Portugal" e que o número de ginecologistas/obstetras é "muito inferior às necessidades".