Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

G8 condena programas nucleares do Irão e Coreia do Norte

Os parceiros das oito maiores potenciais mundiais (G8) condenaram no final da cimeira de Hunstville a proliferação de armamento nuclear no Irão e na Coreia do Norte

Na conferência de Imprensa dada pelo primeiro ministro canadiano ao início da tarde, que marcou o encerramento dos trabalhos do G8 na cimeira de Hunstville, o responsável sublinhou o "êxito da cimeira" e reafirmou a importância da organização que reúne os líderes dos oito países mais ricos do mundo, classificando-a de "essencial". 

"É importante que o G8 continue e cumpra os seus compromissos", vincou Stephen Harper. O G8 abordou neste segundo e último dia temas ligados à segurança internacional e defesa. 

Segundo Harper, o G8 manifestou grandes preocupações com o uso de armamento nuclear por parte do Irão e da Coreia do norte e condenou o ataque de Pyongyang que afundou um navio sul-coreano a 26 março. 

No comunicado final da cimeira, o G8 pede à comunidade internacional que aprove as resoluções das Nações Unidas contra os programas de armamento nuclear daqueles dois países. 

Os parceiros do G8 analisaram também neste meio dia de trabalho, as situações de estabilização e governação no Afeganistão, Paquistão e, em geral, no Médio Oriente.  

Um dos maiores êxitos obtido pelo Canadá nesta cimeira foi a aprovação da sua iniciativa destinada a ajudar a reduzir as elevadas taxas de mortalidade de mães, recém-nascidos e crianças até aos cinco anos de idade. 

Os chefes de Estado das oito maiores potências viajam esta tarde rumo a Toronto, onde se juntarão aos restantes representantes do G20 para a cimeira que ali começa esta noite, em que o prato forte é a análise da crise económica internacional. 

Neste G8, apelidado de "Cimeira de Muskoka", participaram, além do primeiro ministro canadiano, Stephen Harper, os presidentes dos EUA (Barack Obama), da Rússia (Dimitri Medvedev) e da França (Nicolas Sarkozy), assim como os chefes dos governos alemão (Angela Merkel), britânico (David Cameron), italiano (Sylvio Berlusconi) e nipónico (Naoto Kan). 

As duas cimeiras do G8 e G20 em solo canadiano têm sido rodeadas de diversas manifestações de protesto nas ruas de Toronto, que juntaram milhares de participantes.