Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Fiúza recebe carta branca

Os sócios decidiram em apoteose. A direcção vai manter a batalha jurídica e diz-se disposta o levar o caso aos tribunais europeus.

O Gil Vicente vai continuar a batalha jurídica nos tribunais comuns, na sequência do «caso Mateus». Os sócios do clube decidiram a noite passada, por maioria, materializar a vontade previamente anunciada por António Fiúza e deram plenos poderes à direcção do clube para lutar pelo futuro do Gil Vicente.

«Hoje estamos na II Liga. Amanhã, vamos ver», afirmou o presidente do clube de Barcelos, logo na abertura de um discurso onde, munido de vários documentos, elencou, uma a uma, todas as questões sensíveis do caso que está a abanar o futebol português.

A proposta votada pedia ao sócios que dessem plenos poderes à direcção para fazer o que entendesse sobre o «caso Mateus», em persecução «dos melhores interesses do clube», e os sócios não hesitaram. O líder gilista foi recebido em apoteose pelos mais de mil sócios e pelos cerca de 3000 simpatizantes do clube que encheram o pavilhão municipal de Barcelos, numa atmosfera de quase unanimidade que já se adivinhava antes do início do plenário. O advogado Cruz Vilaça, durante uma intervenção também muito aplaudida pelos associados do Gil Vicente, deixava claro que, «caso os sócios assim o decidam», o clube iria continuar a luta jurídica e que estaria disposto «a ir até aos tribunais europeus». A equipa jurídica do clube reafirmou também a vontade de contestar desde já a invocação de interesse público interposta pela FPF.

Perante um pavilhão cheio, o Presidente do clube disparou para todos os lados: acusou «alguns» dirigentes da FPF de serem «incompetentes», apelou à Polícia Judiciária para investigar telefonemas entre o magistrado Pedro Mourão e o presidente do Belenenses, e anunciou que ia pedir ao Governo para demitir os líderes da Federação. Fiúza voltou também a classificar o «caso Mateus» como uma «cabala» e uma «vergonha nacional».
.
O discurso de Fiúza ficou também marcado por uma revelação surpreendente. Segundo o presidente do clube, o jogador Mateus terá jogado pelo Lixa (clube onde alinhava como amador antes de rumar a Barcelos), quando ainda estava vinculado ao Casa Pia, equipa onde jogava como profissional.

O Gil Vicente vai então esperar pela decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa não dê provimento ao requerimento de interesse público pedido pela FPF e o Antónni Fiúza acredita que o Gil ainda pode jogar com o Setúbal na próxima jornada.