Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Feira do Livro prolongada até dia 23

A Feira do Livro de Lisboa vai manter-se até 23 de maio, ao contrário do previsto, e a Feira do Porto será adiada para dia 1 de junho, anunciou a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros

A Feira do Livro do Porto abre a 1 de junho, na Praça da Boavista, e a Feira de Lisboa mantém-se até 23 de maio, anunciou a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL).     A Feira do Livro do Porto vai começar a 01 de junho, e não a 27 de maio, como previsto, e decorrerá na Praça da Boavista, junto à Casa da Música, e não na avenida dos Aliados, disse à agência Lusa Miguel Freitas da Costa, secretário geral da APEL.     "Motivos de força maior" levaram a esta decisão, acrescentou o responsável que não quis adiantar explicações.     Quanto à Feira do Livro de Lisboa, a decisão de prolongá-la por mais uma semana surge depois de situações "atípicas": a forte chuva do passado fim de semana e a passagem do papa pela capital.     Segundo o secretário geral da APEL, esta edição da Feira de Lisboa está a "correr muito bem, muito melhor do que edições anteriores", embora não disponha de números que o quantifiquem.  

"Hora H" é um sucesso 

"Essa é também a informação que nos chega dos participantes", frisou.   Interrogado sobre se a iniciativa "Happy Hour" ou "Hora H", ao abrigo da qual há livros com descontos superiores ao habitual, terá influenciado no aumento de afluência, o secretário geral da APEL disse não ter dúvidas de que existe uma "correlação qualquer".     "Essa foi das novidades da feira com mais eco na comunicação social e na opinião pública. As pessoas têm acorrido com muito entusiasmo naquela hora e, como é óbvio, essas repercussões não se notarão apenas nos livros incluídos na 'Hora H'", concluiu.    *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***  

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.