Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

EUA e Coreia do Sul preparam exercícios militares conjuntos

Navios militares americanos irão juntar-se "em breve" aos aliados da Coreia do Sul para participarem em exercícios militares ao largo daquele país asiático, revelou o Pentágono. Hillary Clinton está em Pequim a discutir com as autoridades chinesas uma solução para a crise na região.

Ricardo Lourenço, correspondente nos EUA (www.expresso.pt)

Depois de uma comissão internacional ter apurado que um torpedo norte-coreano afundou uma corveta sul-coreana, a pressão sobre o regime de Pyongyang intensificou-se. Seul declarou o fim das trocas comerciais com o país vizinho, enquanto Washington prepara uma série de exercícios militares ao largo da península coreana.

"O regime norte-coreano é o responsável por esta situação extremamente precária", confessou ontem, em Pequim, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton. A agenda da visita oficial à China inclui também a discussão de um novo pacote de sanções económicas contra o Irão.

Ameaça de "guerra total"

Clinton afirma que apesar do envio de reforços militares para a região, os EUA querem "evitar o aumento de tensão na zona", mesmo depois da ameaça de "guerra total" lançada ontem pelo regime norte-coreano.

Em Nova Iorque, responsáveis sul-coreanos irão procurar um novo pacote de sanções junto do Conselho de Segurança das Nações Unidas, uma questão que Clinton poderá querer abordar com as autoridades chinesas.

Ontem, à chegada da chefe da diplomacia americana, o vice-primeiro-ministro chinês, Dai Bingguo, afirmou que "não haverá nenhuma tentativa para provocar o confronto, porque nenhuma guerra fria, quente ou até morna seria popular no mundo de hoje".