Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Estado processa Opel

A Opel não estará a cumprir o contrato com o Governo português ao encerrar a fábrica da Azambuja. O Executivo vai processar o construtor alemão.

O GOVERNO vai processar a Opel pelo incumprimento do contrato estabelecido com o Estado português. Anunciado que foi o encerramento da unidade da Azambuja, já em Dezembro, fonte ligada ao processo garantiu ao EXPRESSO que «serão contratados os melhores advogados do país» no sentido de ressarcir o Estado dos danos resultantes do encerramento desta unidade industrial.

Segundo o vice-presidente da General Motors, Eric Steven, o encerramento desta fábrica faz parte de um plano mais vasto a nível europeu, que permitirá a reestruturação do grupo, uma vez que a GM tem registado fortes prejuízos.

A unidade da Azambuja registou em 2005 uma produção recorde de 73.711 unidades, dos quais 65% de veículos do tipo Combo Van (comerciais ligeiros) e 35% Combo Tour (ligeiros de passageiros).

Em Portugal, preve-se que cerca de 1.200 trabalhadores fiquem no desemprego e que o fecho da fábrica tenha um impacto negativo de 0,6% da riqueza produzida no país num ano.