Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Episódio foi completamente impensável e surpreendeu responsáveis

A morte hoje de um aluno casapiano, depois de ter sido esfaqueado, surprendeu a instituição.

O episódio da agressão ao jovem da Casa Pia de Lisboa, natural de São Tomé e Príncipe, que morreu hoje após ter sido esfaqueado no tórax, "foi completamente impensável" e terá surpreendido os responsáveis do Colégio, afirmou a presidente do conselho directivo, Joaquina Madeira.

"O que se passou hoje foi completamente impensável, nunca aconteceu. Ficámos um bocado surpreendidos", afirmou Joaquina Madeira em conferência de imprensa na provedoria do Colégio Pina Manique, garantindo que não tem havido recentemente mais episódios de violência.

A presidente do conselho directivo reconheceu no entanto que existem actualmente "certas tensões" dentro do Colégio, que explicou ser frequentado por cerca de mil jovens entre os 15 e os 25 anos.

Joaquina Madeira explicou que os incidentes aconteceram por volta das 13:00, com um grupo de cerca de 40 jovens a entrarem de "forma abrupta" no Colégio, forçando os portões e dirigindo-se ao refeitório onde os alunos almoçavam.

A confusão gerou-se durante a fuga dos alunos, com o adolescente de 19 anos a ser atacado num dos pátios exteriores por um elemento do grupo que provocou os desacatados.

A presidente do conselho directivo explicou ainda que existe segurança 24 horas por dia no colégio, "oito (seguranças) permanentemente" e que estes estavam presentes no colégio à hora do incidente.

Joaquina Madeira explicou ainda que o jovem falecido frequentava o curso de restauração do colégio há dois anos, sendo natural de São Tomé e Príncipe e residia no bairro de Santa Filomena, na Amadora, juntamente com os pais e um irmão mais novo, sendo considerado um "excelente aluno, mediador de conflitos quando existiam, um aluno doce".

A Casa Pia desconhece a motivação do episódio, que demorou a 30 a 45 minutos. O colégio estará encerrado até à próxima quarta-feira.

  • O jovem, aluno do Colégio de Pina Manique, morreu na sequência de confrontos ocorridos no refeitório, que terão envolvido alunos do colégio e jovens estranhos à instituição, que invadiram as instalações. A PJ já deteve um grupo de 30 suspeitos.