Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Emigrantes nos estádios de Paris

Faltam menos de quatro horas para o Portugal-França. Em Paris, foram já accionadas medidas de segurança para evitar incidentes entre os adeptos.

OS EMIGRANTES portugueses em Paris foram aconselhados a assistir ao jogo Portugal-França no Parque dos Príncipes, o estádio do Paris Saint-Germain, por ser o que oferece «maiores condições de segurança». O contingente policial será reforçado, sobretudo nos locais com maior concentração de adeptos das duas selecções.

«Desde o início do campeonato que temos vindo a apelar aos portugueses para verem os jogos no estádio Charlety. Hoje consideramos que, por ser maior, o Parque dos Príncipes oferece mais segurança», afirmou Hermano Sanchez Ruivo, presidente da associação de emigrantes Cap Magellan, com sede em Paris.

Apesar dos incidentes ocorridos no passado sábado, em Nice, os portugueses irão marcar presença, quer nos estádios de Charlety e no Parque dos Príncipes, quer nos Campos Elísios, em caso de vitória.

A associação Cap Magellan solicitou um reforço da segurança às autoridades francesas, que já foi garantido: nas ruas de Paris vão estar mais de dois mil agentes, catorze companhias móveis de polícia e duas de intervenção. Hermano Ruivo assegura que «serão accionados todos os mecanismos que habitualmente vigoram em jogos oficiais». No interior dos dois estádios, as forças policiais serão ainda apoiadas por «stewarts».

O condicionamento de trânsito nos Campos Elísios foi uma das medidas preventivas accionadas pela Câmara de Paris. Em caso de vitória, será nesta avenida que os portugueses se irão concentrar, como tem acontecido em jogos anteriores.

«Um jogo de amizade»

O embaixador francês em Portugal, Patrick Gautrat, também aponta o Parque dos Príncipes como o local mais seguro para os emigrantes portugueses assistirem à meia-final, embora não veja uma «diferença fundamental» entre este e outros jogos já disputados pela selecção das quinas, com a Inglaterra ou com a Holanda, por exemplo. «Acho que este deve ser, e será, um jogo de amizade», garantiu o diplomata francês.

Em Portugal, um grupo bastante reduzido de franceses seguirá a partida no Instituto Franco-Português, em Lisboa, o que não justifica a mobilização de um «contingente policial significativo». «A maioria verá o jogo nas suas casas», explicou Patrick Gautrat.