Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Eduardo Lourenço eleito Prémio Pessoa (fotogaleria e vídeo)

Rui Magalhães Baião, Maria de Sousa, Mário Soares, Francisco Pinto Balsemão, Clara Ferreira Alves e José Luís Porfírio (da esq. para a dta.), fizeram parte do júri

Alberto Frias

Ensaísta, professor universitário, filósofo. Eduardo Lourenço é um dos autores portugueses mais consagrados e um intelectual com maior projeção internacional.

Rosa Pedroso Lima (www.expresso.pt)

É o 25.º premiado com o Prémio Pessoa, uma iniciativa do Expresso em colaboração com a Caixa Geral de Depósitos.

Eduardo Lourenço de Faria, 88 anos e uma vasta obra publicada, foi a escolha do júri deste ano. A reedição, pela Fundação Caloustre Gulbenkian, da sua obra completa - num total de 38 volumes - foi o motivo mais imediato para a atribuição do prémio.

Um trabalho 'ciclópico', como afirmaram os responsáveis científicos da Fundação Calouste Gulbenkian que este ano iniciaram a publicação da obra. De facto, são 38 volumes de ensaios político-filosóficos escritos entre os anos de 1945 e 2010, de um autor que apesar da sua enorme projecção internacional permanece "pouco lido em Portugal", justifica a Gulbenkian.

Beirão radicado em França

Eduardo Lourenço nasceu numa pequena aldeia da Beira Alta, em 1923. Cedo radicado em França, permaneceu sempre fortemente ligado a Portugal.

"Fico furioso", afirmou recentemente em entrevista, quando questionado sobre o facto de poder ser considerado exilado. Ainda este ano, na sua aldeia, foi homenageado como figura ímpar da cultura nacional. 

O Prémio Pessoa tem, este ano, o valor de 60 mil euros.

.
1 / 27

.

.
2 / 27

.

.
3 / 27

.

.
4 / 27

.

.
5 / 27

.

.
6 / 27

.

.
7 / 27

.

.
8 / 27

.

.
9 / 27

.

.
10 / 27

.

.
11 / 27

.

.
12 / 27

.

.
13 / 27

.

.
14 / 27

.

.
15 / 27

.

.
16 / 27

.

.
17 / 27

.

.
18 / 27

.

.
19 / 27

.

.
20 / 27

.

.
21 / 27

.

.
22 / 27

.

.
23 / 27

.

.
24 / 27

.

.
25 / 27

.

.
26 / 27

.

.
27 / 27

.

Eduardo Lourenço é o Prémio Pessoa 2011. O Prémio Pessoa é concedido anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período e na sequência de uma atividade anterior tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do País. Esta é a 25.ª edição do Prémio Pessoa.

Escreve o Júri: "Num momento crítico da História e da sociedade portuguesa, torna-se imperioso e urgente prestar reconhecimento ao exemplo de uma personalidade intelectual, cultural, ética e cívica que marcou o século XX português.

Eduardo Lourenço foi membro deste Júri desde o primeiro dia até 1993, tendo saído por vontade própria. A sua presença prestigiou o Prémio, que este ano celebra 25 anos de vida. O Prémio prestigia agora a sua presença e a sua intervenção na sociedade, ao longo de décadas de dedicação, labor e curiosidade intelectual, que o levaram à constituição de uma obra filosófica, ensaística e literária sem paralelo.

Entende o Júri homenagear ainda a generosidade e a modéstia desta sabedoria, que tendo deixado uma marca universal nos Estudos Portugueses e nos Estudos Pessoanos, nunca desdenhou a heteredoxia nem as grandes questões do nosso tempo e da nossa identidade. Em 2011, a Fundação Gulbenkian iniciou a publicação das suas 'Obras Completas', sendo que ao I Volume das Heteredoxias o autor acrescentou textos posteriores ao original, obra fundadora do pensamento cultural português.

Eduardo Lourenço é um português de que os portugueses se podem e devem orgulhar. O espírito de Eduardo Lourenço foi sempre reforçado pela sua cidadania atenta e atuante.

Portugal precisa de vozes como esta. E de obras como esta", pode ler-se na ata da reunião do júri.

O "Prémio Pessoa" é uma iniciativa anual do jornal EXPRESSO com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos, cuja designação se inspira no nome de Fernando Pessoa, e que se propõe reconhecer a atividade de pessoas portuguesas com papel significativo na vida cultural e científica do país. Contra a corrente de uma velha tradição nacional, segundo a qual a projeção de algumas obras da maior importância só foi verdadeiramente alcançada depois da morte dos seus autores - e foi esse, precisamente, o caso de Fernando Pessoa -, o Prémio Pessoa pretende representar uma nova atitude, um novo gesto, no reconhecimento contemporâneo das intervenções culturais e científicas produzidas por portugueses.

O júri do Prémio Pessoa 2011 é constituído por: Francisco Pinto Balsemão (Presidente); Fernando Faria de Oliveira (Vice-Presidente); António Barreto; Clara Ferreira Alves; Diogo Lucena; João Lobo Antunes; José Luís Porfírio; Maria de Sousa; Mário Soares; Miguel Veiga; Rui Magalhães Baião.

O "Prémio Pessoa 2011" é constituído por um diploma e uma dotação em dinheiro no valor de 60.000 euros.

Esta é a 25.ª edição do Prémio Pessoa. A lista dos galardoados é composta pelos seguintes nomes:

1987 - José Mattoso 1988 - António Ramos Rosa 1989 - Maria João Pires 1990 - Menez 1991 - Cláudio Torres 1992 - António e Hanna Damásio 1993 - Fernando Gil 1994 - Herberto Helder 1995 - Vasco Graça Moura 1996 - João Lobo Antunes 1997 - José Cardoso Pires 1998 - Eduardo Souto Moura 1999 - Manuel Alegre e José Manuel Rodrigues 2000 - Emanuel Nunes 2001 - João Bénard da Costa 2002 - Manuel Sobrinho Simões 2003 - José Joaquim Gomes Canotilho 2004 - Mário Cláudio 2005 - Luís Miguel Cintra 2006 - António Câmara 2007 - Irene Flunser Pimentel 2008 - João Luís Carrilho da Graça 2009 - D. Manuel Clemente 2010 - Maria do Carmo Fonseca 2011 - Eduardo Lourenço