Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Dois prémios para Portugal no Festival de Cinema de Berlim

"Tabu", de Miguel Gomes, ganha o prémio Alfred Bauer para a Melhor Inovação Artística e "Rafa", de João Salaviza, conquista o Urso de Ouro para a Melhor Curta-Metragem.

Francisco Ferreira, em Berlim

O prémio Alfred Bauer, em memória do fundador do Festival de Cinema de Berlim, atribuido a "Tabu", de Miguel Gomes, marca o reaparecimento, ao fim de 12 anos, de uma longa-metragem portuguesa nesta competição berlinense.  

"Tabu", uma histórias de fantasmas e de um amor louco, tem como protagonistas Ana Moreira, Carloto Cotta, Teresa Madruga, Laura Soveral, Isabel Cardoso, Henrique Espírito Santo. 

Em breve agradecimento, Miguel Gomes afirmou-se "um pouco confuso por receber um prémio de inovação, porque julgava que tinha feito um filme antiquado mas, se calhar, a confusão foi minha", disse.

Depois de dar os parabéns a João Salaviza, que acabava de ganhar o Urso de Ouro do festival na categoria de curtas-metragens com "Rafa", Miguel Gomes fez ainda questão de prestar homenagem ao cinema português e a alguns dos seus realizadores, como Pedro Costa ou João César Monteiro. "Nos últimos 50 anos, eles conseguiram fazer um cinema independente do poder político", sublinhou o cineasta luso.

O primeiro prémio a ser anunciado na cerimónia de encerramento do festival foi para "Rafa", João Salaviza, premiado com a Palma de Ouro para curtas-metragens em 2009, que conta nos papéis principais com Joana de Verona e Rodrigo Perdigão, e aborda a história de um rapaz de 13 anos, residente na margem sul, que vai para Lisboa à procura da mãe. 

O júri do festival, constituido por oito jurados, era presidido pelo realizador inglês Mike Leigh, e intregava a atriz francesa Charlotte Gainsbourg, o cineasta francês François Ozon e o iraniano Asghar Farbadi, Urso de Ouro e 2011, com o filme "A Separação".