Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Detidos 15 suspeitos de terrorismo

A Guarda Civil espanhola deteve 15 pessoas em Barcelona, numa operação contra o terrorismo islamita. Os serviços secretos espanhóis alertaram as autoridades portuguesas para o risco de Portugal ser alvo de um atentado.

A Guarda Civil espanhola deteve sábado à noite mais um homem em Barcelona, tendo aumentado para 15 o número de detidos nesta cidade no âmbito de uma operação policial contra o terrorismo islamista.

Fontes da Guarda Civil informaram que a detenção foi feita numa padaria, situada no bairro central de Raval, próximo de uma mesquita.

Raval é um bairro de Barcelona com uma importante presença de imigrantes, especialmente paquistaneses, nacionalidade à qual pertencem 12 dos detidos, a que juntam dois hindus.

As mesmas fontes explicaram que o último detido é um homem de entre 58 e 65 anos, aparentemente proprietário do estabelecimento onde foi feita a sua detenção, mas a sua nacionalidade não foi revelada pelas autoridades.

Os primeiros detidos tinham em sua posse material para fabricar explosivos e estavam a procurar recrutar mais indivíduos para a realização de eventuais atentados terroristas, segundo explicou sábado o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba.

Os serviços secretos espanhóis alertaram também as autoridades portuguesas para o risco de Portugal ser alvo de um atentado terrorista ligado à deslocação à Europa na próxima semana do presidente do Paquistão.

Os serviços de segurança portugueses confirmaram à Lusa esta informação, mas desvalorizaram o alerta de uma eventual ameaça por considerarem que Portugal não seria um "alvo directo" de um possível atentado terrorista.

"[Sexta-feira], os serviços de informação portugueses receberam uma comunicação de serviços secretos estrangeiros, que Espanha também confirmou, de que Portugal, juntamente com Espanha, França, Reino Unido e eventualmente Alemanha estariam sob ameaça terrorista iminente ligada ao terrorismo islâmico", afirmou à agência Lusa o coronel Leonel de Carvalho, do Gabinete Coordenador de Segurança.

"Estamos convencidos de que Portugal pode ter sido colocado nesse conjunto de países face à sua continuidade geográfica com Espanha e não por a ameaça ter como alvo directo Portugal", ressalvou.

O responsável explicou ainda à Lusa que "não há mais qualquer outro indício" que faça aumentar a ameaça "genérica e global" que existe relativamente ao extremismo islâmico.

O presidente paquistanês, Pervez Musharraf, inicia domingo uma visita a vários países europeus como Bélgica, França, Grã-Bretanha e Suíça.

  • A Polícia Judiciária (PJ) está a desenvolver as "diligências normais e justificadas" após as informações de que Portugal é um dos países europeus que corre o risco de ser o próximo alvo de um atentado terrorista.

  • Portugal é um dos países que está na mira do terrorismo internacional islâmico e corre o risco de sofrer um atentado ligado ao périplo do presidente paquistanês, Pervez Musharraf, na Europa durante a próxima semana.