Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Despedimento de jornalista do "Diário de Notícias" abre crise interna

O despedimento do editor de economia do Diário de Notícias (DN), João D´Espiney, está a gerar tensão no interior do jornal. Um abaixo-assinado dos jornalistas pede a intervenção do Conselho de Redacção.

A forma como o Conselho de Redacção (CR) agiu perante o despedimento do editor de economia, João D´Espiney, é contestada por um grupo de jornalistas do "Diário de Notícias" (DN).

Um grupo de jornalistas promoveu, hoje, um abaixo-assinado a pedir a intervenção imediata do CR para averiguar as razões que levaram ao despedimento do editor de Economia. O documento, subscrito por mais de 30 jornalistas, defende que o CR não tomou as diligências necessárias para averiguar o despedimento de João D´Espiney e solicitam uma “intervenção imediata e profunda do CR”. Alegam que nunca foi mostrado, pela direcção, qualquer descontentamento pelo trabalho do jornalista.

A direcção do DN decidiu, esta segunda-feira – dia limite do prazo legal para comunicar o despedimento –, dispensar o jornalista no fim dos seis meses do período de experiência previsto no contrato do jornalista.

Perante o despedimento do jornalista, o CR emitiu um comunicado que não satisfez uma grande maioria dos jornalistas do DN. E, na sequência do comunicado, foi promovido um abaixo – assinado, a pedir ao CR que averiguasse as razões do despedimento do jornalista. O mesmo texto afirmava que não tinham sido tomadas as diligências “suficientes” para averiguar o despedimento do jornalista.

Instabilidade marca quotidiano no DN

Jornalistas que subscreveram o abaixo-assinado, e que pediram o anonimato, disseram ao Expresso que as diligências do CR na defesa dos jornalistas não têm sido muito activas e eficazes. “Sente-se que intervêem pouco”, afirmou um jornalista que subscreveu o texto em defesa do colega.

Fonte da redacção adiantou que a relacção com a nova direcção não é pacífica. "Há uma grande instabilidade, as pessoas não sabem como vai ser o dia de amanhã", afirmou um jornalista.

Despedimento é "infelizmente normal"

No entanto, fonte do CR garantiu ao Expresso que foram tomadas as diligências necessárias. E que o despedimento de jornalistas se trata de "uma coisa infelizmente normal” hoje em dia.

O jornalista João D´Espiney foi contratado pela anterior direcção do DN, vindo do "Jornal de Negócios". Quando mudou a direcção do DN foi comunicado ao jornalista, pela nova direcção, que se quisesse ficar estava seis meses à experiência e não tinha garantias de que lhe seria renovado o contrato. O jornalista aceitou ficar e recusou a hipótese de regressar ao "Jornal de Negócios".

Contactado pelo Expresso, o director-adjunto Rui Hortelão disse que a direcção do jornal não fará qualquer comentário sobre o caso.