Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Criança devolvida à mãe

Apesar das suspeitas de maus-tratos, a menina de três anos que deu entrada no Hospital de Guimarães com lesões na pele já foi entregue à mãe.

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Guimarães entregou à mãe, hoje de manhã, a menina de três anos que deu entrada, quinta-feira, nas urgências do Hospital de Guimarães. A criança apresentava lesões cutâneas nas pernas, que levantaram suspeitas de maus-tratos.

De acordo com o presidente da comissão de protecção de menores local, Fernando Trigo, o caso «foi reavaliado, ontem à noite e hoje de manhã». Na posse de «novos elementos, decidiu-se entregar a criança à mãe, mas com o acompanhamento da comissão», afirmou ao EXPRESSO.

A criança de três anos foi retirada à mãe e entregue aos cuidados da madrinha, na sequência das suspeitas que recaíam sobre uma avó que tomava conta da menina.

A mãe exigiu ontem um pedido de «desculpas públicas» ao hospital, garantindo à Lusa que a criança tem apenas um problema dermatológico.

Já hoje, o director clínico do Hospital de Guimarães, Fausto Fernandes, assegurou ao EXPRESSO que «não é possível determinar» se as lesões que apresentava quando deu entrada nas urgências se deviam a queimaduras feitas por um familiar ou a uma doença dermatológica. O médico afirmou que a suspeita de maus-tratos foi levantada pela educadora e pela auxiliar do infantário que a transportaram até às urgências e não por clínicos do próprio hospital.

De acordo com o responsável, apresentava na coxa uma lesão antiga, de sete centímetros, provocada por «uma queimadura, que terá sido feita acidentalmente».

Na segunda-feira, as lesões da menina, que foi reexaminada por dois dermatologistas do Hospital, estavam infectadas por uma bactéria. «Não foi possível determinar se se trata de uma infecção bacteriana primária ou de uma infecção secundária resultante de queimaduras», garantiu Fausto Fernandes.