Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

"Conversar com Alçada Baptista era como assistir a um festival de memórias"

O jornalista Baptista Bastos relembrou que Alçada Baptista era "um excelente contador de histórias", a propósito da morte do escritor, hoje aos 81 anos.

O jornalista Baptista Bastos recordou que "conversar com Alçada Baptista era como assistir a um festival de memórias", a propósito da morte do escritor, hoje aos 81 anos.



"Era uma pessoa muito conversadora e terna. Talvez dos poucos escritores portugueses que não tinham inimigos, tal era a sua generosidade", referiu o jornalista.



Baptista Bastos lamentou que a obra de António Alçada Baptista fosse "um pouco esquecida" e apontou o livro "Peregrinação Interior I - Reflexões Sobre Deus" como sendo um dos livros mais importantes dos últimos 50 anos.



"É uma dramática interrogação do que é ser católico que devia ser lido e relido mais do que uma vez", afirmou.



O jornalista recordou ainda uma viagem que fez ao Brasil com Alçada Baptista juntamente com outros escritores e lembrou o amigo como "um excelente contador de histórias" de quem vai ter "muitas saudades".